Moradora de Fonte Inês que venceu a Covid-19: “É uma doença assustadora”

10/02/2021 23:33 - Modificado em 10/02/2021 23:33
A foto deste notícia é meramente ilustrativa.

Em São Vicente 1.917 pessoas já venceram a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus e uma delas é a mulher cuja a história de superação divulgamos hoje. Durante os dias de angústia a lidar com a doença, carregou com ela um grande medo e um desejo ainda maior. O medo, além de temer que o seu estado de saúde piorasse, tinha a ver com a possibilidade de, inconscientemente, ter infetado familiares e pessoas próximas e o desejo era curar-se completamente e voltar às suas rotinas do dia a dia.

O caso de hoje é o de uma mulher residente em Fonte Inês que por motivos óbvios não se quis identificar. Uma história de superação diante de uma doença altamente contagiosa, que só nas últimas 24 horas matou mais de 14.600 pessoas no mundo. O desfecho da história de Antónia (nome fictício) foi diferente, após o diagnóstico e os dias de isolamento profilático levam-na a deixar um apelo para que todos que tomem as devidas precauções porque o vírus da covid-19 não escolhe a quem infetar.

“Sinceramente não sei como apanhei o vírus”, começou por dizer-nos Antónia. “Dirigi-me ao hospital com algumas dores no corpo, mas nunca imaginei que estava infetada com o novo coronavírus. Fui submetida a um teste de covid-19, que para o meu espanto veio com resultado positivo. Entrei em pânico” complementa. 

Esta descreve a doença como “dolorosa e assustadora” e agradece o “empenho e dedicação” dos profissionais e da fé que a levou a vencer esta batalha. “O meu grande medo era o meu estado de saúde piorar e necessitar de ser internada, mas o trabalho dos profissionais deu-me muita confiança. Eu sabia que estava sendo bem atendida. Se eu piorasse estava no lugar certo”.

Vitoriosa, esta moradora de Fonte Inês, conta que ficou “muito preocupada e com medo de ter transmitido o vírus a elementos da sua família e pessoas próximas. Tudo o que queria era regressar a casa, mas completamente curada”. Quando soube que estava curada foi uma sensação de alívio indescritível.

Por tudo o que viveu Antónia alerta as pessoas que cumpram com o máximo de rigor todas as medidas de prevenção da covid-19, porque é uma doença que não escolhe quem infetar. “Vejo muitas pessoas a levarem esta doença como uma brincadeira e por isso fazem festas e convívios, ignorando as recomendações das autoridades de saúde, sem ter noção que podem levar o vírus para casa e contaminar os mais idosos que têm sido a maioria das vítimas desta doença.

“Infelizmente já perdemos algumas pessoas em São Vicente para esta doença, e nem assim as pessoas tomam consciência e começar a se precaver para evitar mais mortes” concluiu.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.