Covid-19 também impede as tradicionais festas privadas de carnaval em São Vicente

4/02/2021 23:49 - Modificado em 4/02/2021 23:50

Em São Vicente, com o aproximar do carnaval, principalmente na semana do carnaval, a cidade normalmente tem diversos eventos, festas, bailes e shows. A lista costuma ser longa, desde de festas em hotéis, como nos próprios bairros ou mesmo fora da cidade, que satisfazem todos os estilos e movimenta ainda mais a ilha nesse período.

No entanto, devido ao aumento de casos no país, as festas públicas em locais abertos e fechados, por determinação governamental, foram interditadas como prevenção da transmissão da covid-19.

E recomenda-se, portanto a intensificação da fiscalização quanto a não realização de eventos e à adopção das medidas de segurança sanitária, como distanciamento social e uso obrigatório de máscaras, com vistas a garantir o controlo da epidemia.

Seja em festas privadas ou nos ensaios, carnaval é sinónimo de diversão onde todos se fantasiam e aproveitam um dos dias mais aguardados do ano, bem como a tradicional tolerância de ponto.

A animação carnavalesca começa logo depois da festa de fim de ano, que não aconteceu. Nos primeiros dias de Janeiro os mandingas saem à rua e anunciam que se está, oficialmente, em contagem decrescente para o Carnaval, mas este ano a pandemia da Covid-19, bloqueou estes eventos.

Devido ao forte aumento de casos de covid-19, o Governo colocou até 15 de fevereiro (véspera do dia de Carnaval) a ilha de São Vicente – habitualmente palco dos principais desfiles carnavalescos – em situação de calamidade (o nível mais grave na lei que estabelece as bases da Proteção Civil), e todas as restantes em contingência (segundo de três níveis).

Dezenas de grupos e centenas de foliões desfilaram no Carnaval de 2020 em Cabo Verde, edição que foi então marcada pelo centenário em São Vicente, o mais emblemático do país, que habitualmente leva milhares de forasteiros à ilha, atraídos pelo típico sambódromo.

O Governo decidiu excepcionalmente, não decretar a tradicional tolerância de ponto nesta época. Relembrando que a tolerância de ponto é decretada durante todo o dia de terça feira de Carnaval e no primeiro período do dia quarta feira de Cinzas, em São Vicente e nas outras ilhas, no segundo período do dia de Carnaval e ao longo de todo o dia de Cinzas.

O Governo “aprovou medidas específicas de prevenção e contenção da pandemia de covid-19, aplicáveis ao período festivo de Carnaval e à Quarta-feira de Cinzas, que se avizinham, em todo o território nacional”.

Em 2020, como em anos anteriores, o Governo concedeu à função pública do país um dia e meio de tolerância de ponto para o Carnaval e primeiro dia da Quaresma, 25 e 26 de Fevereiro, respetivamente, decisão justificada pelo “enraizamento” daquelas datas na cultura cabo-verdiana.

Mindelo, não vai receber, pela primeira vez em anos, na terça-feira o mais aguardado desfile do país.

Por esta altura, nas edições anteriores nos estaleiros, artistas plásticos, pintores, escultores, projectistas, ferreiros carpinteiros entre outros, trabalhavam a bom ritmo. As costureiras, os compositores já tinham entregado as músicas oficias. Ou seja a azáfama estava instalada.

E quem quisesse vir ao Carnaval em São Vicente era preciso planear a viagem com antecedência, marcar voos e alojamento que esgotam rapidamente, com os hotéis praticamente a 100% nas vésperas do Entrudo.

A festa atrai turistas nacionais e estrangeiros, milhares de são vicentinos, jornalistas internacionais, porque por aqui, é praticamente uma semana de desfiles oficiais e espontâneos, festas e bailes de máscaras.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.