Governo admite “abertura” para baixar idade de reforma dos marítimos de 65 para 60 anos

3/02/2021 15:04 - Modificado em 3/02/2021 15:04

O Ministério da Economia Marítima admite abertura na redução da idade da reforma dos marítimos de 65 para 60 anos de idade, resolvendo assim uma pendência e reivindicação antiga destes profissionais.

A redução da idade de reforma dos marítimos de 65 para 60 anos tem sido uma das grandes batalhas da classe e dos sindicatos. Um assunto que se arrasta deste de 1994, altura em que, pela primeira vez, o Conselho de Concertação Social (CCS) deliberou nesse sentido. De lá para cá os sucessivos governos foram sempre protelando a decisão.

Esta semana realizou-se uma reunião de concertação entre a tutela do Trabalho, juntamente com o Ministério da Economia Marítima (MEM), o Sindicato de Metalomecânica, Transportes, Turismo e Comunicações (SIMETEC) e Instituto Nacional de Previdência Social, de onde foi transmitida, conforme o porta voz da reunião Giliardo Nascimento, a mensagem do governo que existe a “total abertura para efetivar a redução da idade da reforma de 65 para os 60 anos”.

Giliardo Nascimento, representante do MEM na reunião de concertação para resolução desta contenda, diz que esta abertura existe na medida e que o governo reconhece que a natureza do trabalho marítimo acarreta desgaste, não só físico mas também psicológico. “Foi discutido na reunião qual será a forma de fazer esta redução, que encontra equilíbrio, sustentabilidade do sistema social do país, INPS e também aquilo que são as reivindicações dos marítimos”.

O mesmo refere que chegou-se a um consenso que havendo penalizações alguém vai compensar. “O Estado tem abertura neste sentido para o fazer. No entanto, vamos entregar aos decisores políticos estas propostas para que sejam avaliadas e que sejam tomadas as decisões”, aponta.

E relata que a vontade do governo é resolver isso o quanto antes para que em 2022 esta situação esteja resolvida. Esta é uma proposta do sindicato tendo em conta o desgaste físico psicológico que a profissão acarreta.

Uma questão para qual o Sindicato de Metalomecânica, Transportes, Turismo e Comunicações quer que os deputados nacionais deem uma atenção especial, por conter alterações profundas daquilo que tem sido o ambiente laboral nos portos.

Estando o Governo da IX Legislatura já no final do mandato, o SIMETEC espera que este se decida brevemente sobre a matéria.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.