PP atribui “cartão vermelho” aos sucessivos governos do PAICV e MPD pela situação da Frescomar

31/01/2021 23:42 - Modificado em 31/01/2021 23:42
Foto: Inforpress

A direção do Partido Popular de Cabo Verde (PP), mostra-se preocupada com a situação vivida na Frescomar, que já pôs fim ao contrato de muitos trabalhadores, atribuindo por isso “cartão vermelho” aos sucessivos governos do PAICV e do MPD, no tocante a esta matéria.

Este foi um dos assuntos da reunião quinzenal do Partido Popular, realizada este domingo, 31, na cidade da Praia, após a qual Amândio Barbosa Vicente, presidente do PP, em declarações à imprensa, considerou tratar-se de uma situação “muito preocupante” visto que coloca em causa a subsistência de milhares de famílias da ilha de São Vicente.

De acordo com Amândio Vicente “Quando vemos 600 empregados da Frescomar indo para o desemprego para nós é um motivo de muita preocupação. Deixamos a nossa palavra de lamento para essas famílias.”

Para o PP a não renovação do contrato de derrogação das normas de origem entre Cabo Verde e a União Europeia, tem influência diretamente em 13 mil pessoas da ilha de São Vicente.

“São 13 mil pessoas com problemas, visto que são 600 trabalhadores que vão para o desemprego. Por isso, um cartão vermelho para os sucessivos governos do PAICV e do MPD” vincou.

De realçar que anualmente, a Frescomar vive constrangimentos devido ao contrato de derrogação das normas de origens, pelo que a direção da empresa subscreve a proposta de se resolver esta situação nos termos do acordo de pescas que Cabo Verde tem com a UE. Proposta que o Governo já tem em mãos para análise.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.