INPS diz que secretária-geral da UNTC-CS está a agir por interesses que não os da defesa dos direitos dos beneficiários

9/12/2020 16:04 - Modificado em 9/12/2020 16:04
| Comentários fechados em INPS diz que secretária-geral da UNTC-CS está a agir por interesses que não os da defesa dos direitos dos beneficiários

A presidente do conselho directivo, Orlanda Ferreira, refutou categoricamente as declarações, segundo as quais o INPS está a adquirir os TCMF para resolver alegados problemas de solvabilidade do Governo, esconder a dívida pública e financiar o sector público, lesando os contribuintes em mais de quatro mil milhões de escudos.

O Conselho Directivo do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), garante que as declarações, proferidas pela secretária-geral da UNTC-CS, sobre a aquisição de Títulos Consolidados de Mobilização Financeira (TCMF), apenas reflectem “inverdades, desconhecimento grotesco da matéria, distorção dos factos, conclusões precipitadas, imprudentes e unilaterais, feitas com o intuito de confundir e de levantar falsas acusações contra o conselho directivo que tem pautado a sua gestão pelo estrito cumprimento da legislação”, referiu em comunicado de imprensa.

Neste sentido, acusa a secretária geral da UNTC-CS de estar a agir por interesses outros que não os da defesa dos direitos dos beneficiários e em grave incumprimento dos Estatutos do INPS, tornar público assuntos tratados e discutidos nas reuniões, ainda quando sobre estes não resultou uma decisão formal do colectivo.

Orlanda Ferreira esclareceu ainda que o INPS ainda não adquiriu os TCMF junto do Banco de Cabo Verde (BCV). “O que aconteceu na última reunião, realizada no dia 04 de dezembro, foi a apreciação da proposta de aquisição dos TCMF como uma oportunidade de capitalização dos recursos do INPS, ou seja uma proposta de investimento que já tem um parecer positivo da Comissão de Gestão de Investimento do Instituto e não um contrato de compra e venda”, explica.

“Em cumprimento do regulamento de investimento, a Comissão de Gestão de Investimentos do INPS analisou os riscos da aplicação, e de forma fundamentada deu parecer positivo atendendo à segurança, viabilidade do negócio e ao retorno que o mesmo a longo prazo irá repercutir nas contas do INPS”, sustentou.

A presidente do conselho directivo do INPS esclarece ainda que a concretizar a opção de adquirir os TCMF junto ao BCV, será feita, à semelhança de aplicações que o INPS tem feito ao longo dos anos em títulos de dívida pública (obrigações e bilhetes do tesouro), títulos emitidos pelo Estado e que configuram uma “aplicação segura e de risco mínimo”.

Orlanda Ferreira garante ainda que as contas do INPS são públicas, “e as mesmas têm demonstrado ao longo dos anos e irão continuar a certificar os impactos que os atos realizados pelos órgãos de gestão têm tido mormente, no que respeita aos recursos e sua afetação”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.