Reféns, explosões e fuga. Banco brasileiro alvo de assalto digno de filme

1/12/2020 16:30 - Modificado em 1/12/2020 16:30
| Comentários fechados em Reféns, explosões e fuga. Banco brasileiro alvo de assalto digno de filme

O assalto durou quase duas horas e houve pelo menos dois feridos a registar.

© Reuters

Cerca de 30 pessoas encapuzadas assaltaram uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma, em Santa Catarina, no Brasil. O crime foi levado a cabo na noite de segunda-feira (madrugada de terça-feira em Portugal Continental) e durou quase duas horas.

Houve pessoas feitas reféns e cercadas por criminosos e bloqueios de trânsito para atrasar a chegada das autoridades ao local, segundo conta o G1. Durante o assalto um agente da Polícia Militar e um segurança ficaram feridos, mas não há registo de vítimas mortais.

Houve seis trabalhadores do Departamento de Trânsito e Transporte de Criciúma feitos reféns que ficaram durante duas horas sentados no meio da estrada, seminus. Três deles foram obrigados a ajudar os criminosos a transportar as malas de dinheiro do banco até aos carros onde fugiram. O grupo foi libertado sem ferimentos.

Os ladrões conseguiram fugir, mas parte do dinheiro levado ficou espalhada pelas ruas, até agora ainda não foi possível calcular o valor total roubado. Mas, até agora, quatro habitantes locais foram detidos depois de terem apanhado 810 mil reais (mais de 120 mil euros), que tinham ficado espalhados no chão numa explosão durante o assalto.

Para trás, após a fuga, ficaram ainda 30 quilos de explosivos por utilizar e foram apreendidos 10 carros, utilizados durante o roubo, num milheiral privado. 

Depois de analisar os carros, as autoridades creem que pelo menos dois dos assaltantes tenham ficado feridos.

O Banco do Brasil já emitiu um comunicado onde dá conta de que não houve funcionários feridos durante o incidente e que não há previsão para a reabertura do espaço.

Em Notícias ao Minuto

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.