Enapor prorroga até final do mês prazo para segunda fase do concurso de construção do Terminal de Cruzeiros

16/11/2020 13:48 - Modificado em 16/11/2020 13:48
| Comentários fechados em Enapor prorroga até final do mês prazo para segunda fase do concurso de construção do Terminal de Cruzeiros

A Empresa Nacional de Administração dos Portos-Enapor, anunciou que a segunda fase do concurso para a construção do Terminal de Cruzeiros de São Vicente, que consiste na selecção do empreiteiro para a execução da obra, foi prorrogada até o dia 30 de novembro.

A Enapor, através de uma nota na sua página oficial, informou que a data limite para a entrega das propostas técnicas e financeiras era até 30 de outubro e esclarece que o atraso na conclusão da segunda fase do concurso deve-se a “uma série de fatores, procedimentos e regras” estabelecidas pelos financiadores internacionais do projeto, que estão “previstos no processo e que devem ser respeitados”.

De acordo com o regulamento, as cinco empresas seleccionadas para a segunda fase do concurso, designadamente Afcons Infrastructures (India), Conduril Engenharia (Portugal), Mota-Engil/Empreitel Figueiredo (Portugal/Cabo Verde), Sogea-Satom/Dumez Maroc (França/Marrocos) e Soletanche Bachy International (França) irão efectuar esta quinta-feira, 19, uma visita técnica obrigatória ao local destinado à construção do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, no Porto Grande de São Vicente.

Conforme a mesma nota, o objectivo passa por conhecer o local das obras e recolher informações relevantes para a preparação das propostas, e, tendo em conta a situação pandémica, a visita será feita in-loco e simultaneamente decorrerão reuniões online.

Todavia, a Enapor reconhece “algum atraso” nos prazos inicialmente estabelecidos, devido “à complexidade do projecto”, os vários intervenientes no processo de construção do terminal e que tem sido agravado desde o início do ano pela situação da pandemia da covid-19.

O terminal de cruzeiros projetado para o Porto Grande de São Vicente terá dois berços de 400 e 350/300 metros, respetivamente, uma profundidade máxima de 11 metros, e será servida por uma gare marítima para passageiros, uma vila turística junto à marginal que vai ter lojas, free-shops, restaurantes, bares, pequenos museus e souvenir.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.