Coordenador do SIACSA em S. Vicente assegura que “justiça tarda, mas não falha”

22/10/2020 15:20 - Modificado em 22/10/2020 15:20

A greve dos profissionais de segurança privada de São Vicente agendada para os dias 26 e 27 de novembro, para reivindicarem melhores condições laborais e melhoria salarial, foi suspensa conforme dá conta o coordenador do SIACSA na ilha Jorge Duarte, após o anúncio do Governo da assinatura do mecanismo de Preços Indicativos de Referência (PIR).

Conforme da conta a mesma fonte, a “justiça tarda, mas não falha” porque entende que era para ser feita “justiça” em março de 2018, visto que em 2017, foi assinado um acordo coletivo para vigorar em 2018, mas que até então não tinha sido implementado.

“Já estava na hora. Mas, contudo, a implementação entra em vigor em maio do próximo ano, porque terá que haver seis meses de trabalho para a sua implementação. Esta era a nossa luta. Agora é aguardar pela entrada em vigor da grelha salarial” afirma.

No entanto, revela que o sindicato vai continuar a acompanhar o desenrolar deste processo para fiscalizar e fazer com que seja honrado o que está assinado no contracto.

De realçar que o Governo assinou o mecanismo de Preços Indicativos de Referência (PIR) nos serviços privados de segurança, passando a fixar os valores propostos pelas empresas e que era reclamado há vários meses pelos trabalhadores. A ausência deste mecanismo e a falta de entendimento entre empresas do sector e trabalhadores já motivaram, este ano, anúncios de paralisação por parte dos vigilantes de segurança privada, que esperam a melhoria das condições contratuais com o PIR.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.