Adiada candidatura do Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade

5/10/2020 23:47 - Modificado em 5/10/2020 23:47
| Comentários fechados em Adiada candidatura do Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade

A entrega da candidatura do antigo Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade foi adiada para 2022, devido a pandemia de covid-19.

A informação foi avançada pelo ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, para quem neste momento é impossível, devido ao atraso das obras. “Os especialistas internacionais que fariam a equipa conjunta também não puderam vir, nós não assinamos em Maio o acordo de cooperação com Portugal para assistência técnica, portanto, é algo que vai ter de ficar para 2021 começarmos o processo”, afirmou o ministro.

Mesmo assim, o ministro garantiu que parte da equipa técnica continua a fazer o trabalho de levantamento, mas lembrou que o preenchimento da candidatura implica um conjunto de outros dossiês, nomeadamente o filme, as fotografias e a recolha de memória.

Abraão Vicente falava à imprensa, na cidade da Praia, à margem da apresentação das subvenções do Projeto Pró-Cultura, financiado pela União Europeia, Portugal e Fundação Calouste Gulbenkian, para apoiar iniciativas culturais em todos os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e em Timor-Leste.

 Neste momento, o antigo Campo de Concentração do Tarrafal está a receber obras de reabilitação, como o ministro a prever que tudo esteja pronto em “meados de dezembro”.

A candidatura do antigo Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade contará com o apoio de Portugal.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.