JMN sobre o caso Saab: “É essencial que as autoridades arrepiem caminho, respeitem os princípios basilares do Estado de Direito Democrático”

27/08/2020 23:47 - Modificado em 27/08/2020 23:47

O antigo primeiro-ministro, José Maria Neves, num post na sua página do Facebook criticou a forma como o Governo de Cabo Verde está a gerir o dossier Alex Saab, detido na ilha do Sal no mês de junho. “É essencial, pois, que as autoridades políticas e governamentais arrepiem caminhorespeitem escrupulosamente os princípios basilares do Estado de Direito Democrático e busquem consensos e compromissos entre os órgãos de soberania e os principais atores políticos.” 

O ex- primeiro-ministro não aponta onde e quem não está a respeitar “escrupulosamente os princípios basilares do Estado de Direito Democrático”, mas deixa um aviso sem mensagens subliminares  “temos o contexto geopolítico e geoestratégico e as consequências da prisão, pelas autoridades cabo-verdianas, de Alex Saab. Dossier cuja gestão, se não for inteligente, pode acrescentar, tem acrescentado, enormes prejuízos à imagem externa do país”. José Maria Neves com esse post dá a cara a uma corrente de opinião que defende que o Governo “não geriu bem o dossier Saab ao deixar um caso político nas mãos dos tribunais” e esquecendo-se de um principio sagrado da diplomacia “são precisos dois para dançar o Tango”.

O NN tinha ouviu antigos diplomatas, de quem aceitamos o pedido de anonimato, que no início deste processo defenderam que “a questão é política, tanto que Saab tem passaporte diplomático da Venezuela e este país já emitiu uma declaração em como ele estava em serviço diplomático”. Defendem que ignorar o contexto político do que se passa na Venezuela e retirar o pedido de detenção desse contexto pode ser um erro com consequência graves para a política externa de Cabo Verde.

Agora é um  ex-primeiro-ministro e potencial candidato a Presidente da República, que vem alertar para os danos que a imagem externa de  Cabo Verde pode sofrer.

  1. Manuel Fernandes

    É PRECISO QUE AS AUTORIDADES ARREPIEM CAMINHO – no dossier SAAB – diz o Candidato a Candidato à Presidência da República JMN. Pelos vistos o JMN será um mau Guardião da Constituição ao sugerir a JUSTIÇA CABOVERDIANA QUE ARREPIE O CAMINHO QUE VEM SEGUINDO… Quem pensa que ainda está sob o jugo do sistema de Partido Único, onde isso era possível, deve sim ele deixar de parte essa Fixação de ser Presidente da República por que não tem jeito para o lugar, não tem cultura para o lugar e, consequentemente, não tem proposto, enquanto cidadão. UMA ABERRAÇÃO TOTAL. Todavia essa descoordenação total do JMN tem um culpado: O CARLOS VEIGA! SEMPRE QUE O CARLOS APARECE NA IMPRENSA COMO ESTEVE HÁ DIAS, numa rádio dos EU onde surgiu como um Estadia de alto nivel, fazendo incursão na Constituição para sustentar algumas informações e muito bem avaliado por quem esteve atento, foi suficiente para deixar o senhor JMN em parafusos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.