Livro sobre Manuel Rodrigues é o próximo projeto do fotógrafo José Pereira

18/08/2020 00:29 - Modificado em 18/08/2020 00:29

O fotógrafo mindelense Zé Pereira, autor de outros dois livros, vai lançar brevemente, o seu próximo livro, que segundo informações veiculadas na sua página do Facebook, trata-se de uma “homenagem ao ilustre engenheiro Manuel Rodrigues, carinhosamente e por todos chamado de Lela Rodrigues”

Com prefácio de Leão Lopes e revisão e apresentação de Manuel Brito Semedo, a obra, sobre a vida de Manuel Rodrigues, contem vários depoimentos relativos à luta clandestina pela independência de Cabo Verde, ainda uma galeria de fotografias, vai ser apresentada ao público na cidade da Praia em finais de Setembro e na cidade do Mindelo na segunda quinzena de Outubro.

A capa do livro é uma pintura do artista plástico Nilton Lima, que como o mesmo recorda, contava apresenta-lo ainda em 2020 e o confinamento foi “um tempo de desemprego e de muito trabalho”. “Não imaginava em Janeiro, como seria este ano de 2020, contudo, devemos saber transformar as crises em oportunidades, na certeza de que, a única coisa que não podemos fazer, é ficar parados”.

Do livro, constam 29 depoimentos a respeito da luta clandestina pela independência de Cabo Verde, ainda uma galeria de fotografias a respeito do seu percurso assim como, fotografias e jornais das celebrações do dia da independência na cidade da Praia e na cidade do Mindelo.

Conta ainda nos anexos, com o cadastro de Manuel Rodrigues na PIDE/DGS e com a parceira de vários outros profissionais.

E que não, obstante toda esta situação pandémica, neste momento, refere que estão a  trabalhar os últimos detalhes e a obra está quase a dar entrada na tipografia para a sua impressão e acabamento.

Espera que este livro venha a ser mais “um contributo para um melhor conhecimento da nossa história e, acima de tudo, uma positiva referência para os mais jovens, o futuro desta nossa nação, una e indivisível, de Santo Antão à Brava”.

Nascido em 16 janeiro de 1930, na Ribeira Brava, São Nicolau, Manuel Rodrigues, faleceu à 25 janeiro 2006, na Praia, Santiago, com 76 anos de idade.

Militante da União Cabo Verdiana Independente e Democrática, UCID, desde 1994, foi também presidente do partido democrata cristão de Cabo Verde, em 2001.

Nascido em 1930, Manuel Rodrigues, foi futebolista do Boavista de Portugal. Fez a sua estreia no clube do Bessa em 1952, ainda em Portugal foi presidente da delegação do Porto dos estudantes do Ultramar.

Contra o colonialismo, foi durante muitos anos militante do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, PAIGC. Em 1961 formou-se em eletrotecnia, foi ainda secretário-geral do Comité Olímpico de Cabo Verde. E dono de uma empresa de construção civil.

Insatisfeito com a política adotada pelo PAICG (partido único que deu lugar ao PAICV, atualmente na oposição) no período pôs independência, Manuel Rodrigues foi desde logo um opositor e critico do regime, desligando-se completamente daquele partido.

A UCID surgiu em 1977 a partir de um grupo, maioritariamente de emigrantes descontentes com o então regime do PAIGC e lutava para tentar implementar a democracia ao arquipélago. Em 1978, o partido é oficialmente fundado na Bélgica.

Com a abertura política em 1991, a UCID não conseguiu juntar os seus principais dirigentes em cabo verde, perdendo a hipótese de se legalizar para concorrer à primeira corrida eleitoral na história da democracia cabo-verdiana. Assim sendo, acabou por apoiar o Movimento para a Democracia (MPD) que nessas eleições assumiu as rédeas da governação derrotando o antigo partido único (PAICV).

  1. Lino Publio

    Com este livro faz se, de alguma forma, justiça a memória de um cabo verdiano ilustre e discreto. Manuel, LelaRodrigues, era um técnico de alto gabarito a que aliava uma vertente humana muito forte. Quando a EMPREITEL se instalou na PRAIA para executar a empreitada da construção das Galerias Praia, o edifício onde está instalado o Banco de Cabo Verde, nos fins dos anos sessenta e inicio dos anos setenta, rapidamente na Praia angariou a maior popularidade em todos os sectores da sociedade pela maneiras fidalga como tratava todas as pessoas. A dimensão humana deste que foi um grande Cabo verdiano não se irá esgotar neste livro. Mas irá dar a conhecer este grande homem, de quem tive o privilégio de ser amigo durante muitos e muitos anos. Honra a memória de Manuel Rodrigues,

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.