Homicida da jovem de 17 estava indiciado da prática de um crime de ameaça e de um crime de violação da intimidade de vida privada

6/08/2020 21:16 - Modificado em 6/08/2020 21:17
| Comentários fechados em Homicida da jovem de 17 estava indiciado da prática de um crime de ameaça e de um crime de violação da intimidade de vida privada
Foto: Inforpress

Em decorrência da vinculação aos princípios da transparência e da publicidade e visando assegurar, a Procuradoria-Geral da República, diz que no dia 16 de julho de 2020, a vítima, conhecida por Lavínia, havia apresentado uma queixa-crime na Esquadra da Polícia Nacional de Santa Cruz, que deu entrada na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz logo no dia 17 do mesmo mês, onde o suspeito vinha indiciado da prática de um crime de ameaça e de um crime de violação da intimidade de vida privada.

Neste sentido, o PGR explica que no dia seguinte, 18 de julho de 2020, a vítima compareceu na Procuradoria da República da Comarca de Santa Cruz, “acompanhada da sua representante legal e do então denunciado”, altura em que solicitou a desistência da queixa, “argumentando que tudo não passava de um mal-entendido e que o problema já tinha sido resolvido”.

O referido processo, conforme a PGR, continua em investigação e encontra-se em segredo de justiça.

Sobre o homicídio da jovem, a autoridade judicial afirma que, o corpo da jovem de 17 anos de idade, foi encontrado no interior de uma residência desabitada na localidade de Achada Bel Bel.

O Ministério Público, refere que com a coadjuvação da Polícia Judiciária, recolheu indícios suscetíveis de integrarem a prática de um crime de homicídio agravado, em autoria material, previsto e punido pelos artigos 122º e 123º, alíneas a) e c), ambos do Código Penal.

Neste sentido, durante a investigação foi identificado o suspeito da prática dos factos, um individuo do sexo masculino, de 23 anos de idade, e nessa sequência, o Ministério Público ordenou a detenção do mesmo, fora de flagrante delito.  Submetido a primeiro interrogatório judicial de detido e em conformidade com o requerimento do Ministério Público, foi aplicado ao arguido a medida de coação prisão preventiva.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.