Quarta edição do REMEX: Travessia a remo entre São Vicente e Santo Antão com a participação de 12 atletas

6/08/2020 16:17 - Modificado em 6/08/2020 16:17

Nadadores Salvadores preparam, este sábado, 8 agosto, a quarta edição do REMEX – travessia a remo de São Vicente a Santo Antão, que este ano conta com a participação de doze atletas, mais cinco que a edição anterior, sendo sete salva-vidas, que têm como objetivo sensibilizar os jovens para a prática de desportos náuticos em São Vicente.

Em entrevista, Aníbal Delgado, nadador salva-vidas e coordenador do projeto, garante que de ano para ano, a modalidade de remo, tem vindo a ganhar mais adeptos e este ano conta com a participação de dois atletas da ilha de Santo Antão, que vão representar a zona norte e sul da ilha, bem como a participação de um atleta da Guiné-Bissau que se encontra na ilha devido a pandemia e destaca ainda a participação de um atleta, da zona Salamansa, na modalidade de  Paddle board”.

Conforme o coordenador, já está tudo pronto para o trajeto de nove milhas náuticas, que arranca as seis da manhã e termina na Praia do Porto Novo. “Já temos tudo montado, apenas estamos a aguardar que chegue sábado”, refere Delgado que diz que o esforço, este ano para a realização desta prova, foi maior devido a pandemia do coronavírus.

“Ainda bem que tivemos o engajamento de entidades como o Ministério da Economia Marítima que nos ajudaram na concretização desta prova”, enaltece Aníbal Delgado, sobre o Remex, que conta ainda com o apoio da Guarda Costeira, Vivo Energy, e o pessoal de motos de água que ajudam no apoio à travessia.

Coordenado por um grupo de nadadores salvadores, Delgado diz que a travessia das 9 milhas em águas abertas, não é nada fácil e que é preciso muito treino, disciplina, preparo físico e mental e ainda a capacidade de lidar com as dificuldades durante a travessia.

Este evento, segundo José Luís, outro nadador salvador, destaca o prestígio que a modalidade tem vindo a ganhar, e a participação de outros atletas, tendo em conta o pouco tempo deste projeto.

Uma ideia que foi concretizada em 2017, a título experimental, e que na segunda edição durou menos de uma hora que o projetado. “Temos um recorde de menos tempo. Foi concluído em 2 horas e 38 minutos e nesta quarta edição, vamos com mais força e garra”, refere este dinamizador do projeto que, no entanto, reconhece que é preciso muito respeito pela natureza. “Vamos remar mais que nove milhas, devido a correnteza que encontramos”.

De forma a dinamizar ainda mais a modalidade, o grupo está a trabalhar na criação de uma associação, a Associação de Nadadores Salvadores – Remex, para ajudar a transformar esta modalidade, torná-la mais forte e com maior participação nacional e internacional e ainda trabalhar na organização de intercâmbios internacionais.

Ademais, acreditam que estão preparados, para representar o país na modalidade a nível internacional.

Ainda este ano, pretendem organizar uma volta à ilha de São Vicente na modalidade de remo.

No ano passado, 2019, Aníbal Delgado foi o primeiro a chegar a Porto Novo, com o tempo de 2 horas e 39 minutos.

E como sempre, na cidade do Porto Novo, contam com o apoio da Câmara Municipal, Delegacia de Saúde e Bombeiros Municipais, destaca a organização.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.