Fundo Global vai financiar várias organizações cabo-verdianas com 226 mil euros no âmbito de programas para dar resposta à pandemia do covid-19

6/08/2020 01:15 - Modificado em 6/08/2020 01:15
| Comentários fechados em Fundo Global vai financiar várias organizações cabo-verdianas com 226 mil euros no âmbito de programas para dar resposta à pandemia do covid-19
Foto: Inforpress

O Fundo Global vai financiar várias organizações cabo-verdianas com 226 mil euros no âmbito de programas para dar resposta à pandemia do novo coronavírus, bem como outras doenças, como paludismo, tuberculose e SIDA, segundo protocolos assinados esta quarta-feira.

O Fundo Global é um dos principais doadores internacionais de Cabo Verde que financia, a fundo perdido, o combate a essas doenças, no âmbito do Mecanismo de Resposta ao COVID-19 (C19RM), neste caso com 25 milhões de escudos (226 mil euros).

O financiamento do Fundo Global para a luta contra o VIH-SIDA, a tuberculose e o paludismo tem como recipiente principal o Secretariado Executivo do Comité de Coordenação do Combate à Sida de Cabo Verde (CCS-SIDA).

Já os protocolos foram assinados entre a CCS-SIDA e os denominados recipientes secundários, nomeadamente Direção Nacional da Saúde, Instituto Nacional de Saúde Pública, Plataforma das ONG, Associação Abraço, Universidade de Cabo Verde e Associação Cabo-verdiana contra a Violência Baseada no Género.

No ato de assinatura, na cidade da Praia, a secretária executiva da CCS-SIDA, Celina Ferreira, citada pela Lusa, salientou a importância do programa para remover barreiras que envolvem direitos humanos e de género para os cuidados de saúde e enfatizou o papel das comunidades na resposta ao combate à covid-19.

“Esta cerimónia demonstra a preocupação do envolvimento da sociedade civil e a atenção que o programa terá para com o grupo mais vulnerável, universitários, mulheres e laboratório”, disse o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, durante a cerimónia.

“Todas as organizações devem ter, nesta luta, estratégias comuns e que os recursos cheguem a quem mais precisar. Nesta luta, o que vai fazer a diferença é a mudança de comportamentos, mas também a solidariedade institucional, organizacional e comunitária”, disse, por sua vez, Dirce Varela, presidente da Plataforma das ONG e que falou em nome das organizações signatárias.  

Criado em 2002, o Fundo Global é uma instituição financiadora internacional, que reúne governos, instituições da sociedade civil, o setor privado e as comunidades, dedicada a atrair e distribuir recursos que permitam prevenir e tratar o VIH/SIDA, a tuberculose e a malária.

Cabo Verde regista uma taxa de prevalência de SIDA de 0,8% e desde 2012 tem uma taxa de um caso de tuberculose por cada mil habitantes.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.