Critérios para alta de pacientes com COVID-19 não exigem especificamente dois resultados negativos de PCR em amostras colhidas em 24 horas

26/07/2020 18:54 - Modificado em 26/07/2020 18:54

Depois das altas de pacientes com Covid-19 na ilha do Sal, este fim-de-semana, que não foram submetidos a dois resultados negativos de PCR, em amostras sequenciais colhidas com intervalo de pelo menos, 24 horas, o que suscitou muitas dúvidas. Mas, sabe-se que as novas diretivas da OMS apontam que pessoas que estiveram muito tempo em isolamento é improvável que sejam capazes de transmitir o vírus a outra pessoa.

A alta dada a 52 pessoas na ilha do Sal este fim-semana e que não foram submetidos a dois testes negativos de PCR em menos de 24 horas, levantou muita polémica sobretudo nas redes sociais, onde muitas pessoas estranharam este facto, visto que o laboratório de virologia da ilha, há cerca de 5 dias que não processa nenhuma amostra.

Nisto, numa procura efetuada pelo Notícias do Norte, foi possível apurar que segundo a OMS, em base de diretrizes provisórias atualizadas, refletem a recente descoberta de que os pacientes cujos sintomas desapareceram ainda podem ser positivos para o vírus responsável pela COVID-19 (SARS-CoV-2), no teste de RT-PCR, por muitas semanas. Apesar desse resultado positivo, é pouco provável que esses pacientes sejam infeciosos e, portanto, é improvável que sejam capazes de transmitir o vírus a outra pessoa.

Com estes dados a mesma fonte, aponta que pacientes sintomáticos, 10 dias após o início dos sintomas, mais, no mínimo, 3 dias adicionais sem sintomas inclusive sem febre e sem sintomas respiratórios, devem ter alta do isolamento.

Também pacientes assintomáticos, 10 dias após teste positivo para SARS-CoV-2, podem ter alta do isolamento.

“Se o paciente tiver sintomas por dois dias, pode ser liberado do isolamento após 10 dias + 3 dias, a partir da data de início dos sintomas; se tiver sintomas por 14 dias, pode receber alta 14 dias + 3 dias após a data do início dos sintomas; e se tiver sintomas por 30 dias, pode receber alta 30 + 3 dias após o início dos sintomas” explica a OMS.

A OMS afirma ainda que os critérios atualizados para alta do isolamento equilibram riscos e benefícios, no entanto, aclara que nenhum critério que possa ser praticamente implementado está livre de riscos.

“Há um risco residual mínimo de que a transmissão possa ocorrer com esses critérios não baseados em testes. Pode haver situações em que um risco residual mínimo seja inaceitável, por exemplo, em indivíduos com alto risco de transmitir o vírus a grupos vulneráveis, ou em situações ou ambientes de alto risco. Nessas situações e em pacientes sintomáticos por períodos prolongados, uma abordagem laboratorial ainda pode ser útil” sustenta.

No entanto, esclarece que os países podem optar por continuar usando o teste de laboratório como parte do critério de alta, de dois testes de PCR negativos com pelo menos 24 horas de intervalo.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.