Debate sobre “Impacto da Covid-19 na Economia Cabo-Verdiana”

17/07/2020 02:08 - Modificado em 17/07/2020 02:08

O secretário de Estado das Finanças, na sua intervenção, no debate sobre “Impacto da Covid-19 na Economia Cabo-Verdiana”, por videoconferência, na cidade da Praia, diz que com o advento da Covid-19 e o seu impacto a nível mundial vai levar todos os países a uma recessão.

E aponta que a “economia de Cabo Verde, assim como nas pessoas, vai ter um impacto muito significativo, pois, 25% da economia do país é baseado no turismo e 8% no transporte aéreo, assim como nas remessas dos emigrantes”.

Segundo o governante, a economia do país em 2019 estava “muito bem encaminhada” para atingir as metas 2030. “Em 2019, o PIB já estava a crescer a 5.7%, segundo dados do INE, mas também durante vários anos tinha uma inflação à volta de 1% e uma taxa de desemprego baixa, mas nos últimos dois anos começou a crescer e a aposta, neste ano, era ter uma taxa de desemprego a um dígito”, ressaltou.

Acresce, no entanto, que apesar de tudo isso, a ambição 2030 para Cabo Verde não vai mudar, pelo que o Governo irá fazer os necessários ajustes para diminuir o impacto da Covid-19.

E por isso, diz que neste momento, deve-se pensar num Cabo Verde mais resiliente, com o mínimo de 50% da sua energia produzido na base de energia renovável e onde 100% da população tem acesso a energia eléctrica, 95% de famílias com acesso a internet, e um país onde as remessas do emigrante tenha maior impacto.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.