Estaleiros navais da Cabnave vão ser deslocalizados

13/07/2020 15:07 - Modificado em 13/07/2020 15:07
| Comentários fechados em Estaleiros navais da Cabnave vão ser deslocalizados

Com a promulgação da lei que institui a Zona Económica Especial Marítima de São Vicente, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, destacou que a Cabnave – Estaleiros Navais de Cabo Verde, vão mesmo ser deslocalizados, embora dentro da ilha.

Situado numa zona nobre da cidade, o autarca mindelense, afirma que o projeto da  Zona Económica Especial Marítima da ilha, por ser de médio e longo o prazo, vai “obrigar à deslocalização das estrutura da Cabnave e Electra”, da zona da Matiota, garantindo no entanto, que não obstante, nesse momento importante para a ilha e para o país, é fundamental localizar os estaleiros navais na zona de Saragaça.

Questionado sobre futuros projetos para aqueles espaços, Augusto Neves avança que por ser uma zona nobre da ilha, possivelmente vai ser aproveitado para “projetos turísticos, que darão mais vida a esta cidade”.

Neste sentido, recorda que na edilidade, nos últimos anos, “fizemos uma força enorme para a criação de hotéis nessa avenida e essa zona da Matiota dará potencial enorme em termos de habitação e hotéis”, assegura.

Ainda sobre a Zona Económica Especial Marítima, afiançou que “ter lá um cais de pesca, um cais de contentores que fará toda a ligação deste oceano atlântico e ter essa aproximação com São Nicolau. Estas ilhas ficarão muito mais próximas e o desenvolvimento das ilhas mais céleres”.

De relembrar ainda que o primeiro-ministro, garantiu também em 2018, que os estaleiros navais da Cabnave não vão continuar como estão, não tendo, na altura, especificado que futuro se reservava às oficinas navais da Matiota que há mais de 20 anos se fala em privatizar..

Por seu lado, o ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, em janeiro deste ano, questionado sobre o avanço do processo de privatização e investimento nos Estaleiros Navais de Cabo Verde (Cabnave), garantiu que “foi dado o aval no valor de 20 milhões de escudos. Estive a visitar a Cabnave nestes dias e o Conselho de Administração está a fechar o processo de negociação com um banco comercial da praça, para poder começar os investimentos necessários”, afirmou o ministro.

O governante, garantiu que vai “trabalhar arduamente” e “dar continuidade” na procura de um parceiro estratégico para a empresa, para “finalizar o processo ainda neste ano de 2020”. O projecto da Zona Económica Especial para a Economia Marítima preconiza a mudança da indústria pesada da baía do Mindelo para a zona de Saragaça.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.