Proteção Civil promete “tolerância zero” para infratores da nova diretiva das condições gerais de segurança sanitária

7/07/2020 23:19 - Modificado em 7/07/2020 23:19
| Comentários fechados em Proteção Civil promete “tolerância zero” para infratores da nova diretiva das condições gerais de segurança sanitária

Com a aprovação da Directiva de acompanhamento e fiscalização das condições gerais de segurança sanitária e as condições dos procedimentos específicos que os diferentes ramos de sectores de atividade devem implementar, o presidente do Serviço Nacional da Proteção Civil e Bombeiros, garantiu que haverá “tolerância zero” para os infratores.

Renaldo Rodrigues, fez estas declarações durante a conferência de imprensa diária sobre o ponto de situação da covid-19 em Cabo Verde, onde referiu que com esta resolução entrou-se na fase de fiscalização do rigor no cumprimento daquilo que são as orientações sanitárias.

Nisto clarificou que em coordenação com os demais serviços de segurança tem-se vindo a realizar há já algumas semanas ações de sensibilização e formação, com o intuito de sensibilizar as pessoas e operadores económicos no tocante as medidas de higiene que terão que adotar neste estado de exceção.

“Nesta fase das ações que já estamos a realizar no terreno é lamentável, porque a maior parte dos operadores económicos não estão a cumprir com as medidas impostas. Também as empresas não têm cumprido as medidas que se impõe nesta fase” assegurou.

Com isto, anunciou que nesta fase se impõe ações “mais enérgicas e tolerância é zero”, visto que tudo aquilo que tem sido feito em termos de sensibilização e observados no terreno nas fiscalizações, denotando-se que na prática “pouco ou nada” tem sido feito.

“Há falhas que nesta fase já não se justifica e nas situações que constatamos risco de contaminação progressiva, encerramos o estabelecimento, instaurado um processo e só depois que cumprir com os requisitos poderá ser reaberto” vaticinou.

No fim-de-semana, avançou que foi iniciado uma “intensa campanha de fiscalização” no período noturno que teve como foco os estabelecimentos, sendo que nestas ações cerca de 21 estabelecimentos foram encerrados por falta do cumprimento das medidas sanitárias, desde a sobrelotação do espaço e bares a funcionarem fora do horário normal de funcionamento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.