Covid-19: Luxemburgo pede a imigrantes cabo-verdianos e portugueses que “permaneçam vigilantes”

6/07/2020 23:21 - Modificado em 6/07/2020 23:21
| Comentários fechados em Covid-19: Luxemburgo pede a imigrantes cabo-verdianos e portugueses que “permaneçam vigilantes”

A ministra da Saúde do Luxemburgo, Paulette Lenert, apelou esta segunda-feira, aos imigrantes cabo-verdianos e portugueses que “permaneçam vigilantes” e mantenham o distanciamento social para evitar o contágio por covid-19.

O apelo à comunidade portuguesa e cabo-verdiana no Luxemburgo surge depois de um aumento do número de casos nas últimas semanas, após uma festa privada que reuniu entre 50 a 100 pessoas, em 12 de junho, ter dado origem a um foco de infeção com 24 contágios.

Paulete Lenert, citado pela Lux24 enfatizou que o coronavírus não é um problema da comunidade lusófona, mas de todo o Grão-Ducado, por ser um país muito pequeno, não querendo, no entanto, estigmatizar ninguém, rotulando pessoas, empresas ou escolas.

Questionada sobre se aconselha que os imigrantes portugueses e lusófonos regressem aos seus países durante as férias, a ministra disse que é uma decisão que cabe a cada um: “Cada um deve avaliar por si o risco que toma, mas o vírus continua”, alertou a governante, sublinhando uma vez mais a importância de observar as regras de higiene e de distanciamento social.

Já o embaixador de Cabo Verde, Carlos Semedo, frisou que se pode vir de férias para o nosso país, mas apelou que os imigrantes cumpram “escrupulosamente as regras de higiene”.

“Queremos que a comunidade lusófona no Luxemburgo seja conhecida pelas boas razões”, defendeu o diplomata.

Carlos Semedo deixou um apelo: “Temos de reaprender a viver com o novo coronavírus e abraçar novos comportamentos e novas rotinas”, sublinhando a importância de respeitar “as indicações das autoridades de Saúde”.

“Se pudermos adiar algumas festas e contactos físicos em encontros que não sejam realmente essenciais, ninguém vai morrer por causa disso, frisou o diplomata citado pela mesma fonte.

O diretor da Saúde do Luxemburgo, Jean-Claude Schmit, apelou também “a todas as pessoas que apresentem sintomas que contactem os serviços de saúde e procedam rapidamente a um teste de despistagem”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.