MP esclarece que extradição de Alex Saab Morán comporta uma fase administrativa e outra judicial

20/06/2020 16:58 - Modificado em 20/06/2020 16:58
| Comentários fechados em MP esclarece que extradição de Alex Saab Morán comporta uma fase administrativa e outra judicial

A Procuradoria Geral da República assegurou que o processo de extradição do empresário colombiano Alex Saab Morán, que está detido na Cadeia Central de Ribeira em São Vicente, comporta uma fase administrativa e outra judicial, que se inicia após a decisão favorável do pedido de extradição pela ministra da Justiça.

Através de comunicado de imprensa, o Ministério Público esclareceu que a fase administrativa deve ter a intervenção do membro do Governo responsável pela área da justiça e a fase judicial inicia-se após a decisão favorável do pedido de extradição pelo referido governante.

O Tribunal da Relação de Barlavento, validou no passado dia 18 deste mês, a detenção provisória do detido de dupla nacionalidade, venezuelano e colombiano, que aguarda a decisão de extradição para os Estados Unidos da América, na Cadeia Central de Ribeirinha.

Nestes moldes, o MP salientou o que já vinha sendo dito, ou seja, que os EUA terão 18 dias, prazo que poderá ser prorrogado até o máximo de 40 dias, para formular o pedido de extradição, sob pena de libertação do detido.

A mesma fonte recorda que em cumprimento de uma “notícia vermelha da INTERPOL”, foi detido no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, um indivíduo do sexo masculino, maior de idade e cidadão de um estado estrangeiro.

O Ministério Público, diz que o detido foi presente ao Juiz do Tribunal da Comarca do Sal, por impossibilidade de deslocação à ilha onde está a sede do Tribunal da Relação de Barlavento.

Nisto, o detido ficou em prisão preventiva como medida de coação, mas com o compromisso do MP encetar diligências para a sua apresentação no Tribunal da Relação de Barlavento em São Vicente, que viria a acontecer no passado dia 16. Em São Vicente a juíza desembargadora relatora validou e ratificou a decisão do Tribunal Judicial da Comarca do Sal, determinando a manutenção da detenção provisória do detido, para efeitos de aguardar pedido de extradição para o Estados Unidos da América.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.