Interdição da praia do Lazareto em São Vicente: População faz petição para a sua reabertura

15/06/2020 15:23 - Modificado em 15/06/2020 15:23
| Comentários fechados em Interdição da praia do Lazareto em São Vicente: População faz petição para a sua reabertura

Em São Vicente, estão abertas as praias de Laginha, Cova de Inglesa, Baía das Gatas, São Pedro, Calhau, Praia de Salamansa e Praia Grande, no entanto a praia de Lazareto continua encerrada para o público, uma situação que deixa descontentes os moradores que estão a preparar uma petição pública para pedir a sua reabertura.

O Instituto Marítimo e Portuário (IMP) ordenou a reabertura de algumas praias balneares na ilha, mas a decisão de manter a de Lazareto encerrada está a deixar os moradores e frequentadores descontentes, por ser a única zona da ilha com uma praia balnear encerrada.

Eduíno Nascimento, uma das vozes ativas da zona de Lazareto, em conversa com este online, diz que não entende a decisão do IMP, que possibilitou, há mais de três semanas, o acesso dos utentes às praias e zonas marítimas balneares para efeitos terapêuticos e de lazer, no entanto deixa de lado a praia da zona com o nome homónimo.

Sendo assim, questiona o motivo da reabertura das outras praias, alegando que os mesmo critérios usados na reabertura, deveriam ser usados em Lazareto, indicando que outras praias, com menos possibilidade de vigilância, foram reabertas. “Assim, diante do exposto, apresentamos a necessidade da liberação da nossa praia, para a prática de lazer, respeitando as regras de distanciamento social necessárias, com limitação de horários, como foi estabelecido nas restantes.

Para Sara Lopes, que antes das restrições devido ao Covid-19 costumava frequentar a praia, defende que é incompreensível a decisão de manter a praia fechada, tendo em conta as situações notadas noutras praias, afirmando ainda que é normal, que existem pessoas que gostam mais de frequentar esta praia em vez de ir às outras, quer para a pesca lúdica ou simplesmente receber vitamina D por causa da saúde, tanto física quanto mental.

Diz ainda que, após passar toda a fase de confinamento e agora com o desconfinamento,  não se deveria interditar mas, continuar a conscientizar a população dos cuidados a ter e não impedir que todo um povoado frequente a sua praia e sejam obrigados ir para outra zona balnear para ter um pouco de lazer, em vez que aproveitarem a que têm mesmo à porta”.

Eduíno Nascimento, que é  morador e frequentador desta praia balnear, é taxativo em afirmar que não faz sentido manter a praia fechada. “Acreditamos que se trata de uma questão de prevenção, para evitar a aglomeração de pessoas, mas ao manter esta restrição, a praia de Cova de Inglesa passa a estar mais congestionada, porque as pessoas, vão sair daqui e ir para aquela praia” e, assim, a situação de aglomeração de pessoas “vai ficar ainda pior”, refere.

Em relação a esta reivindicação, diz que por exemplo, a maior parte dos frequentadores da praia, são de outras zonas da ilha e que este domingo, quatro pessoas foram detidas pela Polícia Nacional que faz rondas, várias vezes ao dia  no local e até brinca com a situação, referindo que durante o dia, passam cerca de quatro vezes. “Acho que as pessoas da zona nunca se sentiram tão seguras, porque nunca houve tanta vigilância”, diz Eduíno Nascimento.

Questionado sobre as medidas tomadas, explica que já teve oportunidade de conversar com o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, abordando este assunto e este prontamente, segundo o mesmo, garantiu que iria abordar o assunto com a autoridade marítima.

Elvis Carvalho

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.