Sanvicentinos apreensivos depois do aparecimento de mais um caso positivo e da entrada de pessoas nos últimos dias na ilha

2/06/2020 01:41 - Modificado em 2/06/2020 01:41
| Comentários fechados em Sanvicentinos apreensivos depois do aparecimento de mais um caso positivo e da entrada de pessoas nos últimos dias na ilha

Depois de confirmado mais um caso positivo de Covid-19 na ilha de São Vicente, uma grávida evacuada do Sal, que testou positivo este domingo, 31 de maio, alguns sanvicentinos mostram-se apreensivos, principalmente com a entrada na ilha de muitas pessoas provenientes da ilha do Sal.

O NN quis tomar pulso ao estado de espírito do mindelenses após estes casos recentes e notou que existe algum receio e apreensão.

“Como é normal fiquei preocupado com a situação, porque entraram muitas pessoas na ilha nos últimos dias, sobretudo da ilha do Sal. Já sabemos que há muitos assintomáticos a circular, por isso teremos que reforçar as medidas. Cada um terá que precaver neste momento” refere Nuno Dias.

Cátia Nascimento também revela a mesma sensação de apreensão, explicando que o número de pessoas em quarentena na ilha é um sinal de preocupação, porque já havia um certo descuido por parte das pessoas que pensavam que a ilha já estava imune à doença. “Fomos apanhados de surpresa com este caso da senhora grávida que veio do Sal, mas sabemos que o vírus sabe esconder-se bem. Agora teremos que reforçar as medidas de prevenção. Mas fiquei com muito medo” ressalva.

Um sentimento de “perigo iminente” partilhada por Vanda Duarte, que assegura que apesar de algumas pessoas provenientes da ilha do Sal estarem em quarentena, recorda que nos dias anteriores, muitas pessoas já entraram na ilha, e que alguns já estão em diversas localidades de São Vicente. E, não convém esquecer as que ficaram em S. Nicolau e as que, posteriormente, seguiram viagem para Santo Antão.

“O medo voltou a pairar agora com mais este caso e com a circulação de pessoas entre as ilhas. Temos que ser vigilantes para reforçar as medidas de prevenção, porque não sabemos onde poderá estar escondido o vírus, principalmente eu que tenho que levantar-me todos os dias para ir trabalhar. Tem que haver mais responsabilidade social, para que não haja o alastramento da doença” avança.

Cabo Verde, desde 19 de março, segundo dados divulgados pelas autoridades de saúde, regista um acumulativo de 458 casos de Covid-19, distribuídos pelas ilhas de Santiago (397), Boa Vista (56, todos recuperados), São Vicente (04, três recuperados) e Sal (01). 

Do total, 211 são considerados recuperados da doença, registaram-se quatro óbitos, dois doentes foram evacuados para os seus países de origem, fazendo com que o país tenha neste momento 241 casos ativos de Covid-19.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.