Familiares da grávida evacuada do Sal para o HBS apresentaram resultado negativo a testes rápidos de COVID-19

30/05/2020 00:46 - Modificado em 30/05/2020 00:46

O NN sabe que os familiares da grávida evacuada do Sal para o Hospital Batista de Sousa, que testou positivo em dois testes rápidos para COVID-19, foram também submetidos a testes rápidos e estes deram negativo. Na sequência do resultado positivo anunciado pelo Hospital Batista de Sousa, no Sal foi iniciado o trabalho de isolar as pessoas que tiveram contacto com a paciente e os familiares foram submetidos a testes rápidos.

Na ilha do Sal  as autoridades sanitárias iniciaram um estudo para entender como a grávida possa ter sido infetada, visto que não havia  nenhum caso de COVID-19 na ilha e garantem que a paciente não tinha saído da ilha do Sal. Por outro lado, o NN sabe que no Sal consideram que foi “prematuro a divulgação dos resultados dos dois testes rápido feitos no HBS e a conclusão que a paciente está infetada”. Acham que se deveria esperar pelo teste de PCR  que confirma com segurança o resultado. E perguntam: “e se o teste PCR der negativo?”. Consideram que “o que menos o Sal e o País precisam é de um caso de COVID-19 que não se sabe a origem” por isso recomendam que se espere pelos resultados do teste PCR antes de se chegar a conclusões que podem não corresponder à verdade.   

A diretora do Hospital Ramiro Alves Figueira, no Sal, disse à RCV que  o serviço  não fez o teste para COVID-19  por que o protocolo não exige “quando o paciente é evacuado de uma ilha sem casos de COVID-19,  como é o caso do Sal”.  E também por que os sintomas da paciente e o questionário de despiste não apontavam para um caso suspeito de COVID-19. Mas, já foram colocados em quarentena  todos os profissionais de saúde  que tiveram contacto com a paciente, assim como os familiares desta.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.