Proprietários de restaurantes e bares do Mindelo pedem ao Governo a alteração do horário de funcionamento

28/05/2020 16:20 - Modificado em 28/05/2020 16:20
| Comentários fechados em Proprietários de restaurantes e bares do Mindelo pedem ao Governo a alteração do horário de funcionamento

Cerca de 80% dos empresários da restauração do Mindelo, através de uma missiva enviada ao Governo, datada de 27 de maio, pedem a abertura dos estabelecimentos de restauração e bares para além das 21 horas, entendendo que as atuais condições não são benéficas para as empresas.

Neste documento assinado por 14 proprietários de restaurantes e bares do Mindelo, ao qual o NN teve acesso, os mesmos que empregam cerca de 200 pessoas e que desde o passado dia 18 de março, os que abrem, têm de fechar ás 21 horas, pedem ao executivo medidas concretas para ficarem de portas abertas. 

“Nós em Mindelo, na contingência da covid-19, já perdemos o mercado turístico e agora contamos com o mercado interno para sobreviver. As consequências na economia da gestão são evidentes: Alguns fecharam, outros reduziram a atividade, a mão de obra ficando a sua vez reduzida a 50% até 75%. Quantos funcionários ficarão ou voltarão ao trabalho? Depende da evolução do setor no imediato futuro” apontam estes proprietários.

No entanto, dizem entender as exigências da prevenção e de mostrar uma imagem internacional firme, que facilitará a retoma do turismo, no médio prazo. Por isso, estes afirmam que por outro lado o país precisa de “empresas vivas” que estejam prontos a investir nesta fase.

“Na ilha não temos casos há meses, mas ninguém sai de casa para jantar fora na cidade deserta, por que todas as atividades devem fechar ao final da tarde. Os regulamentos atuais, muito bem concebidos e atuados, garantem a prevenção nos restaurantes e bares. Os estabelecimentos já são fiscalizados pela IGAE, com sucesso. Mas sem mercado não há empresa” garantem.

Neste âmbito asseguram que estão conscientes em como respeitar os limites impostos pela contingência, por isso pretendem ficar abertos “sem limitação de horário, condição indispensável para manter vivo o mercado interno e as nossas empresas”.

De realçar que recentemente a Câmara Municipal de São Vicente, revelou que tinha intercedido junto do Governo para que os serviços de restauração em São Vicente, pudessem funcionar até as 23 horas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.