São Vicente registou 55 casos de Violência Baseada no Género durante o Estado de Emergência

24/05/2020 22:36 - Modificado em 24/05/2020 22:36

A ilha de São Vicente foi a segunda ilha mais afetada por casos de Violência Baseada no Género (VBG), durante os meses de abril e maio, em que vigorou o Estado de Emergência no decurso da pandemia da Covid-19. Durante esse período foram reportados 55 casos na ilha. A nível nacional foram contabilizados 351 casos de VBG. 

Conforme dados do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), a ilha de São Vicente só é superada pela ilha de Santiago que ainda está sob a vigência do Estado de Emergência, e que tem neste momento 127 casos de VBG, repartidos da seguinte forma: Praia com 71, Santa Cruz (21), Santa Catarina (11), Tarrafal (9), São Domingos (6), São Lourenço dos Órgãos (5), São Salvador do Mundo (2), São Miguel (1) e Ribeira Grande (1).

Depois surge São Vicente com 55 casos, seguida da ilha do Fogo com 32 casos, sendo 26 de São Filipe, Mosteiros (4) e Santa Catarina (2). Santo Antão registou 28 casos (Ribeira Grande-9, Porto Novo-9, Ponta do Sol -5 e Paul-4). Segue-se a ilha do Sal com 22, Maio 10, São Nicolau com 7 casos, sendo o Tarrafal com 6 e Ribeira Brava (1). A ilha da Brava com 5 casos e Boa Vista com 2 completam a lista dos casos registados durante o estado de emergência.

Comparativamente com o mesmo período de 2019 os casos aumentaram 8 por cento (%), de 267 para 289 segundo revelam os dados do ICIEG.

A mesma fonte assegura que desde o início da pandemia da Covid-19, esteve ciente de que os contextos de crise tendem a aumentar as situações de violência doméstica e violência sexual, pois o estado de emergência fez com que muitas mulheres ficassem confinadas na mesma habitação que os seus agressores, entendendo que isso as “vulnerabiliza e desprotege de forma muito acentuada”.

O ICIEG afirma ainda que a estratégia montada de combate à violência de género “foi vital” para que Cabo Verde não registasse uma explosão de casos durante o isolamento social, adiantando que algumas vítimas (mulheres e seus filhos) foram acolhidas nas casas de abrigo e retiradas da residência do agressor.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.