Empreendedor gozado por fazer máscaras em pele. “E a respiração?”

21/05/2020 20:36 - Modificado em 21/05/2020 20:37

Sentletse Diakanyo quer vender estas proteções feitas a partir de restos não usados de estofos para sofás.

© Reprodução Twitter / @Sentletse

Sentletse Diakanyo é um empreendedor de Joanesburgo, na África do Sul, que está a causar polémica no Twitter após ter partilhado uma imagem sua a usar uma máscara de proteção contra a Covid-19 feita de pele. “Então e respirar?”, questionam diversos internautas. 

Diakanyo cria mobiliário de luxo e pretende vender estas máscaras criadas a partir de restos de estofos de sofás que não usou nas suas criações. “As pessoas querem algo diferente”, justificou ao BuzzFeed News.

Contudo – e por muito boa que fosse a intenção – rapidamente o jovem se tornou alvo de chacota devido à sua ‘invenção’. Além de não proteger corretamente, esta também parece não ser feita de um produto que permita respirar corretamente durante a utilização. 

“E a respiração? Fazemos com antecedência?”, foi um dos comentários. “Quem precisa de oxigénio?”, questionou outro.

Em resposta, Diakanyo refere que as suas máscaras permitem uma normal respiração. “Não são nada quentes e fáceis de manter a respiração [quando comparadas] com outras que experimentei”, defende-se à mesma publicação.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.