Jorge Barreto: “Vamos ter que apreender a conviver com o vírus”

13/05/2020 19:15 - Modificado em 13/05/2020 19:15
Foto: Inforpress

Esta é a convicção do Diretor dos Serviços de Prevenção e Controlo de Doença, Jorge Noel Barreto, que afirmou que neste momento é “muito complicado” saber dizer quando será o pico do novo coronavírus no país.

Jorge Barreto que fazia o ponto de situação da Covid-19 no país, na habitual conferência de imprensa, salientou que a situação é mais preocupante neste momento na cidade da Praia, pelo não sabe dizer se o pico da doença no país seja no próximo mês de junho.

“Pelo menos não teria ferramentas e informações para dizer isso, mas pelos dados que nós temos neste momento, estamos a ver que todos os dias, à exceção de ontem, termos 14/15, hoje 19 casos novos. Estamos na fase ascendente da curva epidémica e se continuar assim, para o final deste mês talvez tenhamos atingido o pico, mas vai depender de vários fatores” referiu.

Neste âmbito clarifica que esta análise deve ser feita conforme as informações resultantes dos testes que são realizados. Mas, entretanto, esclareceu que se for levantado o estado de emergência pelo menos na cidade da Praia, não terá como saber precisar um possível pico da doença, mas diz-se ciente de que não se venha a ter um “pico excessivo” em Cabo Verde.

Por isso, Jorge Barreto, alertou as pessoas a se consciencializarem em conviver com o vírus, mesmo que não for levantado o estado de emergência. “O vírus não vai desaparecer de circulação e vamos ter que apreender e as pessoas um tanto quanto antes começar a habituarem-se às condições que devem ter em conta para conviver com o vírus e adotar as medidas que são recomendadas, cumprindo as restrições. Só assim é que conseguiremos conviver, digamos assim, da melhor forma possível com este vírus, porque de outra forma não será possível” exortou.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.