Emigrantes cabo-verdianos enviaram mais de 180 milhões de euros em remessas para o país

11/05/2020 20:16 - Modificado em 11/05/2020 20:17

Em todo o ano de 2019, globalmente, as remessas dos emigrantes cabo-verdianos cresceram 8,1%, para num novo máximo, de 19.900 milhões de escudos (180,2 milhões de euros), de acordo com dados do relatório Banco de Cabo Verde.

De acordo com dados compilados pela Lusa, os emigrantes cabo-verdianos em Portugal enviaram 5.679 milhões de escudos (51,5 milhões de euros) em remessas no ano de 2019, um crescimento de 6,7% face ao ano anterior.

A França, com 4.831 milhões de escudos (47,3 milhões de euros), e os Estados Unidos da América, com 4.496 milhões de escudos (40,7 milhões de euros), são outros dos principais países de origem das remessas dos emigrantes cabo-verdianos.

Estima-se que mais de 100 mil cabo-verdianos residam atualmente em Portugal, a segunda maior comunidade na diáspora, logo depois dos 250 mil emigrantes de Cabo Verde nos Estados Unidos.

Em todo o ano de 2018, as remessas cabo-verdianas ultrapassaram os 19.195 milhões de escudos (173,3 milhões de escudos), uma subida de 6% face a 2017, com Portugal a liderar, com 5.675 milhões de escudos (51,2 milhões de euros).

Os emigrantes cabo-verdianos enviaram um novo recorde de remessas para o país em 2019, acima de 180 milhões de euros, quase 30% com origem em Portugal, segundo dados de um relatório estatístico a que a Lusa teve hoje acesso.

Cabo Verde conta com cerca de 500 mil habitantes no arquipélago e mais de um milhão na Europa e Estados Unidos da América, estando o sistema financeiro fortemente dependente das remessas desses emigrantes.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.