Covid-19: Milhões voltam hoje a sair à rua em vários países

11/05/2020 12:32 - Modificado em 11/05/2020 12:32
| Comentários fechados em Covid-19: Milhões voltam hoje a sair à rua em vários países

Dezenas de milhões de pessoas começaram hoje a sair do confinamento imposto para conter a pandemia de covid-19, designadamente em França e Espanha, dois grandes países europeus muito afetados pelo vírus, mas também Holanda, Grécia ou Turquia.

© Reuters

Desordem marca primeiras horas da reabertura em França 

Os franceses puderam hoje sair de casa pela primeira vez em dois meses, com o início da primeira fase de desconfinamento que autoriza a reabertura de estabelecimentos comerciais e de creches e escolas pré-primárias.

A imprensa francesa mostra desde as primeiras horas da manhã imagens de grande confusão no metro de Paris e em estações de comboio em vários pontos do país, com grande afluência e muito pouco respeito pelas regras de distanciamento.

Lojas de roupa, cabeleireiros e imobiliárias estão entre os estabelecimentos que podem reabrir, sujeitos ao cumprimento de regras de higiene e de distanciamento, mas restaurantes, bares e cafés mantêm-se fechados.

As creches e escolas pré-primárias reabriram “numa base de voluntariado” e organizando a atividade em grupos de 10 a 15 crianças, enquanto as escolas básicas (dos 6 aos 15 anos) começaram a preparar a reabertura, na próxima segunda-feira.

França é um dos países mais afetados pela pandemia provocada pelo novo coronavírus, registando 26.380 mortos em mais de 176 mil casos.

Metade da população de Espanha volta a poder socializar

Cerca de metade da população espanhola, 47 milhões, pôde hoje beneficiar de um alívio das restrições impostas em março, com a reabertura de pequenas lojas e das esplanadas e a autorização de reuniões sociais que juntem até 10 pessoas.

Onze das 17 regiões espanholas, assim como as cidades autónomas de Ceuta e Melilla, entraram hoje oficialmente na “fase um” de desconfinamento, mas Madrid e Barcelona, especialmente atingidas pela pandemia, não são abrangidas pelo alívio de restrições.

No resto do país, as pessoas podem agora juntar-se em reuniões sociais de até 10 pessoas, assistir a funerais com o limite de 15 pessoas e frequentar igrejas, mesquitas e outros locais de culto, limitados a um terço da capacidade.

Cafés e restaurantes podem também reabrir portas, mas apenas para o serviço de esplanada e com um limite de ocupação de metade das mesas.

Espanha é o país europeu com mais casos de infeção registados, 227.436, embora com menos mortes (26.744) que o Reino Unido e Itália.

Escolas primárias da Holanda reabrem

As escolas primárias holandesas começaram hoje a receber de volta os alunos, depois de dois meses encerradas, embora com turmas e horários reduzidos para metade.

Pequenos estabelecimentos, como cabeleireiros e livrarias, também puderam reabrir portas.

A imprensa holandesa mostra hoje alguns cabeleireiros que abriram portas logo às 00:00, face à enorme quantidade de pedidos de marcação.

Antecipando o levantamento de restrições, e com o tempo primaveril que se fez sentir no país no fim de semana, os holandeses acorreram em grande número aos espaços públicos, levando alguns parques e jardins a vedarem acessos secundários, para melhor controlar as entradas.

A Holanda regista 42.383 casos e 5.422 mortos, segundo números de domingo da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Grécia entra na segunda fase com zero mortos nas últimas 24 horas

A Grécia entrou hoje na segunda fase de desconfinamento, autorizando a reabertura de todas as lojas, à exceção de centros comerciais.

Há uma semana, tinha sido autorizada a reabertura de cerca de 10% dos estabelecimentos, como livrarias, cabeleireiros, oculistas, lojas de eletrónica e de artigos de desporto.

Os alunos do final do secundário regressaram também hoje às escolas e, dentro de uma semana, será a vez dos outros alunos do secundário e do superior.

A partir de domingo, as igrejas podem voltar a celebrar missas.

A Grécia esteve entre os primeiros países europeus a decretar o confinamento, o que terá contribuído para que seja um dos que regista menos casos e menos mortes.

No domingo, o boletim diário das autoridades gregas apontava para zero mortos e apenas seis novos casos de infeção em 24 horas, num balanço global de 2.710 casos de infeção e 150 mortes.

Bélgica reabre todo o comércio menos restaurantes e bares

A Bélgica, que iniciou há uma semana a “fase 1” do desconfinamento, entra hoje na “segunda parte” com a reabertura de todo o comércio, à exceção de restaurantes e bares, com o uso de máscara obrigatório.

Contudo, a rede de transportes públicos da capital, Bruxelas, estava hoje fortemente afetada por uma greve dos motoristas de autocarro, que se consideram expostos a riscos acrescidos ante medidas de precaução que qualificam de insuficientes.

Os belgas podem desde domingo, Dia da Mãe na Bélgica, reunir-se com familiares e amigos, juntando no máximo quatro pessoas.

A partir de hoje, alguns hospitais reativaram as consultas e tratamentos não-relacionados com a covid-19 e as secretarias dos tribunais reabriram portas.

A Bélgica registava no domingo 52.596 casos de infeção e 8.581 mortes, segundo números da OMS.

Centros comerciais, esplanadas e cinemas reabrem na República Checa 

Centros comerciais, cabeleireiros e esplanadas reabriram hoje na República Checa, que a 24 de abril se tornou o primeiro país europeu a voltar a autorizar todas as viagens ao estrangeiro.

Cinemas, teatros e outras salas de espetáculo reabrem também hoje com a lotação limitada a 100 pessoas.

Todas as atividades no espaço público estão condicionadas ao uso de máscara e ao distanciamento social.

O aumento diário de casos de infeção no país é inferior a 100 há dez dias consecutivos e o de mortes inferior a 10 desde 13 de abril, segundo números do Ministério da Saúde checo.

Desde o início da pandemia, a República Checa regista 8.095 casos e 276 mortes, segundo a OMS.

Cinemas, museus e concertos voltam a realizar-se na Bulgária 

Cinemas, museus, bibliotecas e atividades de lazer em espaços fechados, como concertos, voltam hoje a estar autorizados na Bulgária, com o limite de 30% de lotação e um distanciamento de dois metros entre cada pessoa.

Na capital, Sófia, a polícia começou hoje ações de fiscalização do uso de máscara nos transportes públicos e espaços fechados, aplicando multas de até 250 euros a quem não respeitar a obrigação.

A Bulgária, em confinamento desde 13 de março, foi relativamente poupada à pandemia, com 1.955 casos e 90 mortes registadas até domingo pela OMS.

Ucrânia autoriza reabertura de cabeleireiros e pequenos estabelecimentos 

Algumas lojas podem reabrir hoje na Ucrânia, como cabeleireiros, salões de estética e outros estabelecimentos, desde que pequenos e com porta para rua.

Apesar de o país registar números relativos baixos de infeção pelo novo coronavírus, 15.232 casos e 391 mortes até domingo, o sistema de saúde não tem tido capacidade de resposta, com vários hospitais de cidades de província sem um único ventilador.

As autoridades decretaram um rigoroso confinamento a 12 de março, mas a pressão para desconfinar acentua-se face aos efeitos económicos da paralisação da economia.

Turquia reabre lojas, mas exige medição de temperatura dos clientes 

Centros comerciais, com exceção das zonas de restauração, cabeleireiros e barbeiros abriram hoje na Turquia, pela primeira vez em sete semanas, mas com verificação da temperatura dos clientes, a limitação de um cliente por cada 10 metros quadrados e o uso de máscara.

Nos cabeleireiros e barbeiros, o atendimento é feito exclusivamente por marcação, o uso de máscara e viseira pelos trabalhadores é obrigatório e o material usado deve ser descartável.

Desde domingo, os mais velhos podem sair de casa por algumas horas.

As medidas de alívio das restrições foram justificadas pelas autoridades com o decréscimo do número médio de novos casos diários.

A Turquia regista 137.115 casos e 3.739 mortes, segundo números de domingo da OMS.

Disneyland de Xangai reabre

A Disneyland de Xangai, na China, reabriu hoje ao público, depois de mais de três meses encerrada devido à pandemia de SARS-CoV-2.

Algumas atrações do parque vão manter-se contudo fechadas, o número de visitantes será limitado e o cumprimento do distanciamento social controlado.

À entrada, os funcionários mediam a temperatura às várias dezenas de pessoas que acorreram hoje ao parque.

A China, onde surgiram os primeiros casos do novo coronavírus, em dezembro, foi a primeira economia a ser suspensa e a primeira a ser retomada, no princípio de março.

As fábricas e as lojas reabriram, mas os cinemas, karaokes e ginásios mantêm-se fechados.

A China regista 84.430 casos de infeção e 4.643 mortes, segundo a OMS.

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já infetou mais de quatro milhões de pessoas em todo o mundo, 280 mil das quais morreram, segundo um balanço da agência AFP.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2020: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.