Acordo de concertação social de três meses para defender o emprego, a economia e rendimentos das famílias

24/03/2020 15:21 - Modificado em 24/03/2020 15:21

O Governo e os parceiros sociais assinaram hoje um conjunto de medidas de caráter fiscal, financeiro e social, que visam mitigar os efeitos do novo coronavírus, protegendo as empresas, os empregos e as famílias.

As medidas foram anunciadas pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, após reunião do Conselho de Concertação Social, têm uma duração de três meses e consistem em:

1.  Em caso de despedimento será atribuído o subsídio de desemprego para todos os trabalhadores que descontaram, pelo menos, durante dois meses e sem restrição de idade.

2.     – Contribuições ao INPS ficam temporariamente isentas. 

3.     – O tesouro vai pagar imediatamente as facturas pendentes (um valor que ultrapassa um milhão de contos).

4.     – Disponibilizada uma linha de crédito de 4 milhões de contos, com garantias do Estado que podem chegar aos 100%.

5.     – Flexibilização do pagamento dos impostos e das taxas por parte das empresas.

O primeiro – ministro justificou  estas medidas  defendendo que “O mundo vive a maior crise de sempre e esta exige medidas assertivas e de rápida execução”.

  1. Elisio vezo silva

    Tou contento com a desisao que o governo de c.verde tumou a respeito dos tra baliadores das impresas i dos impredidores ,para que ninguem gica em casa com sem o seu trabalio. Ninguem tem culpa do que esta acontesendo, somos um pais pobre mas o nosso governo soube ajir ao tomar as desisoes de estrema necsecidades ,sou orgulioso de ser caboverdiano ,somos uma comonidade grandissimo de criolos que vivem aqui na lombardia onde estamos de baico do fogo que se chama o corona virus ,nesta rejiao onde tem muitos mortos todos os dias,ja estamos com uma elevadissima taxas de infetados asima dos 60.000 ,,,,mortos ja sao 6820,

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.