Sector da construção civil teme o pior sem a intervenção do governo

20/03/2020 00:27 - Modificado em 20/03/2020 00:27
| Comentários fechados em Sector da construção civil teme o pior sem a intervenção do governo

Empresários ligados à construção civil, contactados por este online, estão à “espera do pior cenário” na sequência  das medidas que foram tomadas  devido ao COVID 19 . 

Em relação as obras já em fase de construção, salientam que podem parar se houver dificuldades na importação de materiais ou se o vírus se alastrar em Cabo Verde de uma forma que impeça os trabalhadores de se apresentar nos locais de trabalho.

Em relação a importação de materiais, sabemos que existem empresas que não puderam fazer as encomendas em Portugal, porque as fábricas nesse país ou estão fechadas ou sem previsão para aceitarem encomendas. Mas o cenário mais temido na construção civil  passa pelo alastramento do vírus que leve a quarentenas, confinamentos à habitação e outras medidas como tem acontecido em outros países. “As consequências seriam drásticas para as empresas de construção civil.  Se tivermos que parar as obras, a maioria das empresas não tem tesouraria para aguentar nem um mês. Mesmo mandando os trabalhadores para casa”.

As empresas que falaram ao NN acreditam que os projetos dos hotéis  previstos para São Vicente na área da Laginha, nomeadamente o Marriott e o Hotel Tulip, vão arrancar «pois se arrancarem agora, os encargos com empréstimos só começarão numa fase em que a economia já terá recuperado». Mas sustentam  que o mercado vive de confiança e no momento a confiança dos investidores está em baixa .

Dentro de todos os cenários acreditam que esta crise, de uma forma ou de outra, vai atingir o sector da construção civil e temem o pior. Por isso apelam ao governo que esteja preparado para tomar medidas junto do sector da construção civil. Isto por que é sabido que as empresas não têm condições para sobreviver devido aos impactos desta crise e muito menos de retomar as atividades de uma forma normal depois da crise.  

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.