Assassinato de Ti Piras: Natalino condenado a 21 anos de prisão

17/01/2013 00:01 - Modificado em 17/01/2013 00:01
| Comentários fechados em Assassinato de Ti Piras: Natalino condenado a 21 anos de prisão

O Juízo Crime da Comarca do Sal condenou Natalino Soares pelo assassinato de Pedro da Cruz, de 60 anos, conhecido por “Ti Piras”. O juiz aplicou-lhe uma pena de 21 anos de prisão por ter causado a morte da vítima e a pagar uma indemnização de 1000 contos à família de “Ti Piras”.

 

O caso da morte de “Ti Piras”, na ilha do Sal, conheceu o seu desfecho final com a condenação de Natalino Soares acusado de homicídio agravado por asfixia. O juiz que procedeu ao julgamento do arguido afirmou que o tribunal obteve provas que o indivíduo de 33 anos estrangulou a vítima, quando este se apercebeu que o arguido tinha roubado um cofre da Escola Profissional do Sal, no dia 29 de Janeiro de 2012.

Perante o Tribunal, Natalino alegou que estava com problemas para pagar a renda de casa e que dois dias antes da ocorrência viu uma empregada da EPS, onde exercia o cargo de segurança, colocar 23 mil escudos num cofre da escola. E que se dirigiu à EPS para roubar esse valor e regularizar as suas contas e que ao ser surpreendido pela vítima, guarda-nocturno do estabelecimento, houve uma luta corpo a corpo, mas que depois de ter agredido o idoso de 60 anos, estrangulou-o com as mãos e o recurso a um cinto.

Feita a comprovação dos crimes através de provas concretas, o magistrado concluiu que Natalino Soares cometeu um crime de roubo seguido de homicídio. Por isso, aplicou-lhe uma pena de 20 anos de prisão pelo assassinato de “Ti Piras” e quatro anos pelo roubo. Com o cúmulo jurídico, o arguido que é natural da ilha de São Nicolau vai passar 21 anos na prisão e terá de pagar ainda uma indemnização de 1000 contos à família da vítima.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.