Sara Lopes aprova desmantelamento do rebocador Leopard e do navio Mar Azul

16/01/2013 23:57 - Modificado em 16/01/2013 23:58
| Comentários fechados em Sara Lopes aprova desmantelamento do rebocador Leopard e do navio Mar Azul

A ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima, Sara Lopes, fez uma abordagem sobre a remoção do navio Mar Azul e do Leopard que se encontram encalhados na Baía do Porto Grande, ilha de São Vicente. A ministra caracterizou a remoção das duas embarcações como um processo complexo, mas assegurou que o Estado vê no desmantelamento uma solução para driblar os elevados custos de remoção.

 

A legislação cabo-verdiana permite que um navio esteja encalhado no território nacional por um período de 90 dias. E findo esse prazo, a lei declara que a embarcação passa a ser propriedade do Estado. No caso do navio Mar Azul e do Leopard, o seu abandono por parte dos proprietários determinou que as embarcações passassem a ser propriedade do Estado, entidade que assumia os custos da remoção do local de encalhe.

Por ocasião da visita à ilha de São Vicente, a ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima, Sara Lopes assegurou que a retirada da carcaça dos navios encalhados na Baía do Porto Grande é uma preocupação do ministério que tutela, por isso, em conjunto com as autoridades marítimas executaram um plano para retirar essas embarcações.

 

Solução

“É um processo complexo sobretudo quando envolve navios estrangeiros, porque requer um trabalho que envolve as instâncias judiciais de outros países. E a nossa legislação diz que se o armador não retira o navio do local num prazo de 90 dias, o mesmo pode ser declarado perdido para o Estado. Mas é uma decisão que não é tomada à pressa, porque temos que avaliar os custos que essa declaração trará ao Estado” declara a ministra Sara Lopes.

Mas a ministra das Infra-estruturas e Economia Marítima assegura que com o aumento da procura de carcaças de navios em situação de encalhe, o Estado tem encontrado soluções. Neste sentido, as autoridades marítimas estão a trabalhar com empresas internacionais que operaram no ramo do desmantelamento de navios e que está em curso um trabalho para remover o navio Mar Azul e o rebocador Leopard da Baía do Porto Grande.

A ministra Sara Lopes acrescenta que “findo o processo de remoção e desmantelamento, far-se-á a exportação desse material que tem valor comercial. Isso permite resolver o problema de uma forma comercial sem representar grandes custos para o Estado”.

Recorde-se que as autoridades marítimas e a empresa Desindava chegaram a um acordo para se desmantelar os navios. E por questão de segurança, o desmantelamento do Leopard e do Mar Azul irá ocorrer no cais da ex-Onave. Quanto aos custos financeiros do desmantelamento para o Estado, este online soube que a contrapartida assinada no contrato é que a Desindava fica com a sucata extraída das embarcações.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.