Supremo ordena detenção do primeiro-ministro paquistanês

16/01/2013 01:47 - Modificado em 16/01/2013 01:47
| Comentários fechados em Supremo ordena detenção do primeiro-ministro paquistanês

O Supremo Tribunal do Paquistão ordenou a detenção do primeiro-ministro do país, Raja Pervez Ashraf, no âmbito de investigações sobre um caso de corrupção para a concessão de projectos energéticos na época em que era ministro da Água e da Energia.

 

Segundo o tribunal, enquanto ministro da Água e da Energia, Ashraf “violou o princípio da transparência, portanto o seu envolvimento na obtenção de benefícios financeiros fora do mesmo, cedendo à corrupção e a práticas corruptas não pode ser anulado”.

 

Fawad Chaudhry, um conselheiro do primeiro-ministro, disse que a decisão é inconstitucional.

 

Além da detenção do chefe do Governo, o Supremo ordenou também a detenção de outros 15 acusados, incluindo o antigo ministro das Finanças, Shaukat Tareen.

 

A ordem de detenção do primeiro-ministro surge num período de grande tensão no Paquistão. Desde segunda-feira que milhares de pessoas protestam no centro da capital, Islamabad, contra a “incompetência” e a “corrupção” das autoridades e a exigir a demissão do Governo.

 

Ashraf foi nomeado primeiro-ministro em Junho, em substituição de Yousouf Raza Gilani, que obrigado a deixar as suas funções pelo Supremo Tribunal depois de se ter recusado a reabrir um inquérito antigo sobre um caso de corrupção que envolvia o Presidente Asif Ali Zadari, co-dirigente do Partido do Povo do Paquistão (PPP), com Ashraf.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.