Os recados de Onésimo Silveira para Mário Lúcio e JMN

30/04/2012 00:05 - Modificado em 29/04/2012 22:01

Num artigo de opinião publicado pelo ASemana Onésimo Silveira investe contra “os fundamentalistas de uma utópica “República de Santiago” enviado vários recados como destinatários bem identificados. E um dos “fundamentalistas “ que recebe vários recados é o ministro da Cultura, Mário Lúcio.

Este é acusado por OS de querer dar uma nova paternidade a morna e de com isso ter uma “ estratégia para a meter no colete de força da burocracia e condicionar, desse modo, a sua expansão e difusão.” OS diz que Mário Lúcio anda a “ macaquear o brasileiro Gilberto Gil e de uniforme branco e impoluto e queNa esteira dos factos políticos que trazem a chancela do fundamentalismo utópico, apareceu ultimamente um Ministro da Cultura que se socorre do tartufismo para quebrantar a morna. Segundo ele, “a morna só poderia ter nascido em Santiago”. Ao atribuir voluntariosamente à morna esta paternidade, o Ministro vai de encontro ao óbvio e à carga de investigação que desautoriza a sua afirmação.

Este súbito interesse do senhor Ministro da Cultura em chamar a morna para junto de si, outra coisa não é senão uma estratégia para a meter no colete de força da burocracia e condicionar, desse modo, a sua expansão e difusão.” Mas, Silveira vai mais longe ao considerar que “As actividades propriamente culturais sofrem, todavia, de uma insuficiência e de uma acentuada mediocridade que as colocam ao nível de tosco artesanato. Nesta área, copiar e macaquear é uma regra, criar é uma excepção, que se remete para as calendas gregas.”

 Recados para JMN

O primeiro-ministro, José Maria Neves, também, está incluído na lista dos “ fundamentalistas” e por isso não escapa aos recados de Onésimo Silveira. Em relação ao crioulo, OS contesta o facto de o Primeiro-ministro ter usado na Assembleia Geral das Nações Unidas o crioulo de Santiago “O recente discurso do Primeiro-Ministro na Assembleia Geral das Nações Unidas, vazado em “Krioulo de Santiago”, deixou eufóricos os fundamentalistas, que o louvaram com hossanas. A intervenção do Primeiro-Ministro, com carácter mais político do que linguístico, cauciona o crioulo da maioria para-africana e relega para espaços periféricos outros crioulos, com destaque para o de São Vicente. “

Em relação a posição assumida pelo PM sobre a regionalização política que este considera que seria desastrosa para Cabo Verde, OS puxa dos galões de quem já foi conselheiro do PM e manda mais um recado “A defesa da identidade regional, que implica necessariamente a autonomia política e administrativa como corolários de uma situação geográfica e cultural específicas, tem sido apontada pelos fundamentalistas como “expressão de bairrismo”, uma qualificação, pobre de autenticidade e objectividade, para promover o seu proselitismo.

A defesa da regionalização política e administrativa não é um acto vergonhoso como pretendem os fundamentalistas utópicos mas sim, pura e simplesmente, um acto dotado das mais fortes legitimidades – a histórica e a cultural. Devotar afeição especial e particular à sua cidade não pode ser confundido com bairrismo, como pretendem os fundamentalistas crer e aceitar.”

Ultimo recado

A terminar o artigo OS deixa um recado para si e para todos: “ Independentemente dos nossos pecados, não calaremos perante as humilhações dos fundamentalistas utópicos. Podem sonhar com leões, elefantes ou outras feras como o “Alupec”. Nós continuaremos a cultivar a morna a honrar a memória da Cesária Évora, que em mais de vinte anos de carreira nunca recebeu um convite para cantar na Gamboa. Para isso lutaremos sempre para evitar que a frustração nos venha impedir de fluir a liberdade e a igualdade, o poema republicano que todos nós escrevemos, para todos nós.

  1. NUNCA SE SUBSTIMOU A CAPACIDADE INTELECTUAL DO DR. ONÉSIMO SILVEIRA, MAS SIM… POR ISSO ACHEI O TEXTO BASTANTE PERTINENTE E MESMO A PROPÓSITO, NUMA ÉPOCA EM QUE O POVO CABO-VERDIANO DAS ILHAS DO NOROESTE ( Santo AnTão, São Vicente, Santa Luzia, São Nicolau, Boavsita, Sal e Maio) SE APERCEBEU QUE A ” REGIONALIZAÇÃO” A TODOS OS PONTOS DE VISTA QUER SEJAM ECONOMICO, CULTURAL OU OUTROS, DEVEM SER UMA REALIDADE PARA O BEM DAS NOSSAS ILHAS.PORQUE SENÃO ESTAMOS TRAMADOS E FICAREMOS SEMPRE NA MÓ DEBAIXO

  2. (Continuação do meu comentario) FICAREMOS NA MÓ DEBAIXO, POR CAUSA DESSA PREPOTENTE NEPOTISTA E ANTI-DEMOCRATA GOVERNAMENTAÇÃO DA UTOPICA REPUBLICA DA PRAIA (Santiago) DO PM JOSE MARAI NEVES QUE PROCURA ARRASTAR CONSIGO TODOS ESSES “PAUS MANDADOS” COMO MARIO LUCIO MINISTRO DA CULTURA E OUTROS NESSA LUTA CONTRA O REGIONALISMO (socio-económico-cultural) DAS ILHAS DO NOROESTE.MAS ESTAMOS ATENTOS E A LUTA CONTINUA.BRAVO ONESIMO!!!

  3. Joaquim ALMEIDA

    A cultura de um povo a sua mùsica ,neste caso a ( morna ) mùsica cabo verdiana ,é de todos e para todos os cabo-verdianos . E simplesmente lamentàvel querer apoderar-se da Morna para fins de interesse politico ,partidarismo de algo que pertence ao pais e ao seu povo !.. Isto é um comportamento vergonhoso , podendo-se dizer mesmo rediculo por quém que nao conhece ou que finge desconhecer a historia de Cabo Verde e a sua mùsica. Sinceramente acho estranho essa atitude do
    d’um Ministro de Cultura .

  4. eduardo monteiro

    Já tive a oportunidade de parabenizar o Dr. Onésimo pelo artigo publicado no jornal A Semana.
    Sobre a morna os chamados “fundamentalistas” como o Onésimo os apelidou, tudo fazem para subalternizar a morna, em proveito dos géneros musicais de Santiago que são tocados nas rádios e Tevevisões do país de 24 horas a 24 horas.
    O Governo nunca aproveitou a soberana oportunidade de propor a morna,como património imaterial da humanidade, quando a Césaria fazia “furor” pelo mundo fora com esse genéro m

  5. povo2 povo

    Ca ta entende pamod Onesimo tem es tipo de atitude.

  6. Manecas Matos

    `Não terem convidod nunca a Nossa grand CESÀRIA ÈVORA pa ter bade na gamboa, foi 1 grande favor que as autoridads da praia fazè pas NÒS GRAND DIVA,DE SONCENTE E DO BARLAVENTO, Sr. Doutor Silveira.

  7. Vitù

    Morna nascè na praia?… ahahahhahahahaha…. Es badio de mer… voltà bom na contà pirrassa…ahahaahahah…

  8. Carjorge - Soncent

    Badiu ta tud cansode cabessa… Muto bem escrivid sr. coxim!!! Cambada de burros!

  9. Eduardo da Luz Brito

    a comecar digo-vos que nao gosto de politica, mas estou atento ao que acontece principalmente quando atinje S. Vicente, ainda bem que temos filhos de SV como o Sr. Dr. Onesimo Silveira, pessoa mt competente e k admiro mt pela capacidade de ver as coisas e como politico, que estao a salvaguardar a nossa Ilha do maldito BAIRRISMO, k existe nos Govenos, digo governos pk todos sao iguais pk o problema de SV esta nas Camaras k nao teem sido do mesmo partido no governo e tmb pelo numero de eleitorado.

  10. Um intelectual de elevadissima craveira; um texto literário de primeira grandeza. Do conteudo, basta referir, que ele consegue ler e transmitir o que vai na alma de cada Mindelense ou barlaventista, como ele chama. Eu que pensava que já lhe faltaria alguma energia para continuar esta tremenda luta de decadas que vem travando a partir da trincheira de S.Vicente, onde os Santiaguenses, cavaleiros da Republica pretende acantonar-nos. Parabens e longa vida Dr. O.Silveira para gaudio dos Mindelenses.

  11. José. Chantre

    Muito bem dr Onesimo e pena vc tenha andado chafurdar na lama com essa gente quando se junto ao jmn e colocou os seus interesses pessoais acima dos interesses de são Vicente , mas como reconhece os seus pecados ,por mi esta perdoado ,pois Mindelo precisa do seu tribuno

  12. Loje

    Nenhum mindelense pode ficar indiferente à situação que vive a ilha e o desprezo pela região norte e a criolidade. Neste momento todos devem-se juntar à bandeira da Regionalização a única via para a Redenção e a Reafirmação das nossas ilhas.

  13. O treinador dos Fundamentalistas (sR. Jo
    ão Gomes da Pró-Praia) nunca pensara que o seu ultimo “rabisco” sairia no mesmo jornal que o artigo do Dr. O.Silveira. Aquele só vê nºs e quantidade, esquecendo-se que o pior ostracismo é o cultural que determina tudo o resto: economico, politico,etc.Não foram os comentarios on-line que lhe assentaram que nem uma luva, como diz, mas sim este “fato” de fundamentalista que o Dr. Onesimo lhe costurou, com peso, conta e medida.

  14. KGB

    Esse tal de Onésimo não foi embaixador da REPÚBLICA DE SANTIAGO em Portugal ???? Seu CAMALEÃO ULTRAPASSEIRO !!!! QUER é seu PRÓPRIO BEM ESTAR … encostando -se ao povo mindelense…. Teria ele ainda a moral de dar PALPITES ?????? BAN…

  15. CaboVerdiano

    VIVA Dr. ONESIMO
    Graças a Deus que nos temos O Dr. Onesimo porque se não no tava te bem oia broxa na mon de um governo de Santiago porque é isso que nô tem ne CV… tcham dal ne criol de soncent pq ca ninguem ti t bem obrigam fala bediu… e mas, bediu nenhum sabe canta morna…nem o Ministre Cultura contamas.

  16. mindel team

    Caros amigos
    Depois do brilhante texto, só nos resta agradecer ao Dr. Onesimo pela liberdade e frontalidade em expor verdades que doem na nossa alma de ver a nossa cultura a nossa identidade afundar, e principalmente o desejo da unidade nacional na diversidade que tornou um absurdo.
    Como caros amigos sabem bem o que nos resta a fazer é lutar pelos nossos direitos como dizia bob Marley fight for your rigths, e isto cada dia que passa até a vitória final.

  17. Carlos Ventura

    Dr Onésimo com o resto do carisma que ainda tem lidere uma rebelião pacífica e declare a Regionalização. As vezes tem que se dar um soco na mesa. Só assim é que eles vão mexer (o MPD e o PAICV) , pois já não vão em conversas mansas

  18. NOEL

    O Onesimo Silveira vais ficar sozinho nesta luta porque jente de barlavento principalmente jente de s.vicente sao todos uns falços, nao conta com o apoio deles confia nas tuas potencialidades conta com tigo mesmo ando a ver que o saovicentino quer saber de parodia que é triste sem saber para onde vai o futuro

  19. Como lá dizia Pantcho Villa, durante a luta pela causa justa da reforma agrária latifundiária do México, todo aquele que quizesse aderir, seja ele velhaco, ladrão,
    puta, pandeleiro, troca-tintas e até mesmo grande intelectual servia. Do Onésimo,
    todos reconhecemos nele um homem de forte capacidade intelectual e o que ele
    disse sobre a “Réplucia Utópica Da Praia”está bem dito.Mas atenção…atenção…
    atenção.Porque ele como jogador de poker está sempre com falta de massas e individado.Pois então.

  20. humberto Ilisio

    É com muita pena que tenho que aceitar que o Sr. Noel está parcialmente munido de razão. Os cidadãos da Rep. de Santiago vem aproveitando desse medo, passividade, alienação e inercia para usar e abusar de nós. Eles proprios dizem, que Mindelenses é só garganta. E na pratica lhes vamos dando razão. É chegado o momento de agirmos.Aproveitemos essa vaga. Todos por S.Vicente. Está dado o pontapé num dia historico como hoje, 1 Maio. Vamos sair à rua. Venham daí.

  21. Mário SilvaA

    Admitir a possibilidade de a MORNA ter nascido em Santiago não passa nem pela cabeça do Ministro da Cultura. Isso é um bluff, é uma tentativa de ganhar protagonismo e entrar, pela porta das trazeiras, no rol de personalidades ilustres que contribuiram para a construção da caboverdianidade. Mario Lúcio faz parte de um grupo, bem identificado, de pseudo-intectuais, plagiadores que constituiram uma irmandade que se alimenta do auto elogio e do elogio recíproco.

  22. Mário Silva

    Bem, dando continuidade à mensagem, espero, entretanto, que não reivindiquem a paternidade da MORNA aí, em S. Vicente!

  23. Boise Soncente

    Uma coisa estamos todos de acordo: Mudar o nome de “Republica de Cabo Verde” para “Republica de Santiago” ….. pois ainda as nossas lanchas são a remo….. não conseguem “voar”
    … Perguntem ao nosso JMN…..

  24. humberto fortes

    morna nasce na praia? desculpe senhor ministro és um excelente musico, mas como ministro da cultura não prestas.isso é para o pessoal de barlavento vê o que a capital á muito tempo vem á fazer já é tempo de levantar-mos a vóz e dizer sim a regionalização ou vou ter que lhe perguntar até quando vais continuar á trabalhar para o desenvolvimento da PRAIA, pense nisso.

  25. mario MINDELO

    manera quê esse cosa fala criol ondê. na Merca?
    o quê quêl dzê:
    Barlavento: – mufino é um gaz alterôde sem medo.
    Sotavento : – mufino é um pendler ou um gaz medente

    Barlavento: – Pardal
    Sotavento : – tchota

    Barlavento: – defundo
    sotavento: – finado
    ondê dicionario para lingua CABOVERDEANA.

  26. Lucius

    Meus caros, dessa vez o Onésimo arrasou a República Utópica de Santiago”. Este é o melhor artigo político já mais escrito no pasquim de o ASEMANA. Não tenho dúvida que este texto um dia será objecto de estudo nas nossas universidades. É pena que são vicente poderia ser o orgulho desta região (Santo Antão, S.Nicolau, Sal e Boavista), mas elas são um povo “leviano” e não conseguem fazer mais frente a Santiago, nem culturalmente e económico. Chega as eleições PAICV da-lhes festas e pronto! Acordem!

  27. Bads

    ó gentis de SV dja sta na hora di nhós dexa de fala mal de Santiago Ilha mãe ki ta da td CV cumida, cuxim foi imbaxador di Republica de SAntiago, el é camalhão, nhós bá trabadja, é só odja li Praia munti di sampadjudo di São Vicente, lembedores di bota ta subi na Adm. publica só cú pé di galice, inda nhós ki tem cuza papia.

  28. Naiz d´nha ninha

    ninguém sabe, ao certo, ondê q´morna nascê. Segundo alguns depoimentos el foi kantod pa 1ª ves na ilha d´boavista. Ma djom sabê mô algum xpert ta bem reklamal pa ilha d´savicent.(mi ê d´saninklau)

  29. JOSE LIMA

    ON BADS PRAGA DE BURRO QUE TA BA PA CEU E MEIO TOSTOES CATEM TROCO. QUEM MESTE PO OI NUM CIDADE CINZENTO E FEIO MODA BO PRAIA.

    BA TRA PUL NE CINZA BA BA PA O DIABO BA

  30. PATCHE PAR LOA

    O NAISS DE NHA NINHA BA INTCHI BARRIGA DE FARINHA DE PAU TA FECOB MEDJOR MA TAMBEM DE SNICOLAU ELE CA BEM

  31. BARAFUNDA

    olha que o Sr.OS pode a te ser um vira casacas, um camalhão politico. mas que é bom de pena isso e verdade, solução para SVte. um pouco difícil, temos sido muito mal representados no parlamento, deputados, que só defendem o tacho. dai a badiulândia vai ditando regras e nos só temos que acatar.

  32. Jose Pereira

    O texto ‘República de Santiago’ tem o inconfundível estilo literário mordaz e de elevada qualidade a que OS nos habituou. Contudo, devo confessar que me deixou preocupado. Preocupado porque é um texto que lança a semente de divisão de um povo cujo país luta para ser autosuficiente, no meio da tremenda crise que grassa pelo mundo fora. Eu não gostaria de ver a ‘primavera árabe’ estender-se a Cabo Verde pois não temos arcaboiço económico que resista a uma tal perturbação social.

  33. Candido Salomão

    se a estupidez e a burrice pagasse IVA, C.Verde era um pais rico sò à conta dos BADIUS!… Qando temos 1 ministr da cultura mod a mario lucio,sò apetece dizer: Meu pobre C. Verde…

  34. antónio vitorino

    Meu Deus, tudo isso é despeito? Como tenho pena de bzot! Vocês vivem tão amargurados com os badios presos na vossa garganta! Que é que eles voz fizeram? Só porque eles crescem, dinamizam a ilha e vcs ficam com as vossas ciumeiras? Oh complexados!! Vivam “coolmente”, sem rancor, na boa, e deixem os badios e ST em paz pois eles nem pensam em vós. Já agora, por aqui rimo-nos das bacoradas do OS. Nem imaginam quanto! É tema de anedotas e de risos! Ah, ah, ah,, ah, ah, ah, ah, ah!

  35. Adriano Miranda Lima

    O texto de Onésimo Silveira deve servir para reflectirmos seriamente e não para reagirmos com ligeireza. O Onésimo não está só na defesa da posição que ele assume desassombradamente no seu texto porque outros o vêm fazendo há já algum tempo. Quem diz que ele está só, como li num ou noutro comentário, provavelmente quer aludir à actual fraca militância cidadã do povo de S. Vicente. Este é que tem de acordar da sua letargia.
    Mas é de todo conveniente esclarecer que nem Onésimo nem outros que vêm defendendo posições similares pretendem a divisão do país, qualquer que seja. A intenção é lutar contra uma certa hegemonia cultural que a ilha-capital quer impor a todo o povo cabo-verdiano, no pressuposto, absolutamente errado, de que ali reside a matriz intocável da realidade cultural do país. A via cultural é apenas aquela que se tem evidenciado, com alguma persistência, mas ela apenas uma via concorrente com outras que são visíveis para o reforço de um centralismo político que, aparentemente, recusa aceitar um debate nacional sobre a descentralização política e, possivelmente, a regionalização. Reafirme-se que a reforma política não será para dividir mas para gerar mais equilíbrio e mais equidade entre as ilhas.

  36. joana

    Pamodi qui sampadjudos, ka ta bai ses ilhas, ês ta dexa Badios em paz?
    Já qui Badios é tudo kes kuzas qui nhos sta skrebi, pamodi qui nhos gosta di sta djuntu
    ku nôs? Aja saku pa atura sampadjudinhos pé di xinelo, qui bem santiago, ka tem undi
    kai morto!
    Engraço é qui kes qui sta na Santiago ka ta bai ses ilhas(pincipalmenti kes di son visenti) e kes qui ka sta na Santiago, sta morri di vontadi di fixa residensia na Santigo.
    Nhos bai nhos ilha, nhos dexanu, nôs qui é Badio em paz.

  37. fAÇO MINHAS AS PALAVRAS DO SR. NOEL, SOU SE S.VICENTE MAS SOMOS GARGANTUDOS, NÕ SABÉ É TMÁ BONÉ . É SÓ FALAR DE BADIUS BADIUS, MAS MINHA GENTE O QUE É QUE BADIU FEZ MAL A S.VICENTE. NADA, ACHO QUE PRECISAMOS TER OUTRAS ATITUDES, E PENSAR DOUTRA FORMA DE COMENTAR, E NÃO FALAR Á TOA, POR EXEMPLO OS BADIUS SÃO MAIS UNIDOS DO QUE NÓS DE SONCENTE, BASTA É SÓ VER AS MANIFESTAÇÕES NA RUAS. AGORA, UMA COISA É CERTA . NAS FESTAS DE RUAS TODA A GENTE VÁ

  38. Carjorge - Soncent

    Jota bo è especial,ma grinha sim bo fàlà asnera sò pa dà corda pa badiu,bo sabè porkè? pa mod bo tem negòcios interessants via praia, è apenas isso nha amig!… No sabè de tud!! Defendè badius è un sinal de pouca inteligencia. cuidode…

  39. Paulino Zanetty

    Sobre kel sinhor ki flal man Morna é ca di di Badiu e man badiu ca ta canta morna , é so pa flal man um des kes maior Mornas foi escrito pa Badiu , pa el ki ca sabi, o ilustre ORLANDO PANTERA escrevi kel MORNA ki si nome é ( REGAÇO ) Ki MAYRA ANDRADE TA CANTA, e kel tem oto tb Morna ( TARRAFAL ) escrito pa Zé de Nha piga irmon de Bera Guarda Redes.Sobre keloto ki flal ma Badiu é burro é uma baixeza e autentico discriminason só pa flal mé ca só badui ki é burro , ma el é bairrista de 1ª.

  40. Antropologo di Praia

    Meus Caros Sonvicentinos
    Capital de Cabo Verde é Praia cidade, por isso não sejam rediculo como o ex-embaixador, candidato a PR e conselheiro do 1º M. São Vicente não desenvolve sem o resto de CV. A história nos ensina que este discurso não é novo, mas nunca deu fruto. Pergunto ao Sr. OS: não se pode discutir como adulto as questãoes de regionalização sem ofender Santiago e Praia? Olhe que estão radicados na Praia incontaveis sanvicentinos e barlaventinos que estão casados com badios.

  41. Tito Paris

    Ca ta dà pa compredè pa mod qè Noticias do Norte tà dà tant publicasson de comentàrios de badius, Tcà badiu ba comentà nnoticias do sul… È sò asnera e esparat simà ess antropòlog de Praia… ahhahahahahahahh…

  42. Antropologo di Praia

    Meu amigo Tito
    Sei que para defender grosseiramente a sua dama, preferes maguar e desfazer almizades com baduis desde Holanda, Portugal, Santiago e Praia e Rest. Gamboa.
    Sou partidario do regionalismo sem bairiismo e sem por em causa o todo nacional CABO VERDE.

    Força na defender

  43. paul atento

    Cabo-verdianos e cabo-verdianas, deixemos de bairrismos e juntemos as nossas forças ao bem dos nossos dez queridos graozinhos de terra. somos uma única nação e donos de uma única história. Cabo verde é o que é porque somos um povo com uma rica história. somos um povo que orgulha de ser cabo- verdiano em qualquer parte do mundo. a nossa bandeira é caboverdiana e é por isso que tem dez estrelas prara representar cada uma das nossas ilhas. defendemos cada uma das estrelas mas não esqueçamosque sem

  44. Fortes

    Sr. António vitorino como assim “Vocês vivem tão amargurados com os badios presos na vossa garganta! Que é que eles voz fizeram? Só porque eles crescem, dinamizam a ilha e vcs ficam com as vossas ciumeiras?”. Minhas sinceras desculpas mas ou o Sr. está a gozar sendo irónico ou o sr. sofre de alguma incapacidade intelectual ligeira.
    Pois não foram eles que cresceram e dinamizaram a ilha de Santiago mas sim foi o governo que cresceu e dinamizou está ilha, juntamente com os “amigos do povo”.

  45. Fortes1

    Continuação…………… Fica a pergunta de onde apareceu o dinheiro na qual a cidade da praia desenvolveu? E em todas as soluções possiveis existe ou um governo corrupto ou governo incompetente e injusto com as outras ilhas.

  46. Fortes2

    Há algumas pessoas que comentaram e acho que eles entenderam errado a mensagem do Dr. Onesimo SIlveira. O que ele quer é simplesmente um governo competente justo e que não prima nada a ninguém. E que não centralize todos os recursos de Cabo Verde na cidade da Praia. Coisa este governo não fez.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.