Líder de grupo de “caçubody” condenado a seis anos e oito meses de prisão

13/01/2013 23:33 - Modificado em 13/01/2013 23:33

O Tribunal de São Vicente condenou um jovem de 18 anos que liderava um grupo de “caçubody” na ilha de São Vicente a seis anos e oito meses de prisão. O arguido e alguns indivíduos, entre eles também menores, assaltaram vários cidadãos e duas habitações. O indivíduo que se encontrava em prisão preventiva foi condenado por cinco crimes de roubo.

 

O 2º Juízo Crime da Comarca de São Vicente procedeu à leitura da sentença de um processo-crime que acusava três indivíduos do crime de roubo. Os indivíduos, que residiam na zona de Fonte Felipe responderam pela prática de vários “caçubodys” praticados na ilha de São Vicente entre os anos 2010 e 2011.

Mas o maior peso da acusação recai sobre um jovem de 18 anos tido como o cabecilha do grupo que respondeu a uma acusação de seis crimes de roubo. Mas em Tribunal ficaram provados cinco dos crimes de que era acusado porque uma vítima não compareceu ao julgamento, uma vez que se encontra ausente da ilha.

Desta forma, o juiz condenou o jovem a uma pena de seis anos e oito meses de prisão, uma condenação atenuada em razão da idade que o arguido tinha quando cometeu os delitos. “Por lei a pena tinha que ser atenuada, mas o arguido teve uma conduta grave, por isso, a pena foi ajustada à situação. Foi necessário fazer justiça e com equilíbrio, pois o jovem vai a tempo de reflectir e de traçar um caminho para a reintegração social” declarou o magistrado.

 

Crimes

De realçar que o jovem foi condenado pelo roubo de dois fios de ouro a dois idosos, agressão a um estudante com dois golpes de faca roubando-lhe um telemóvel. Para completar a acusação, o jovem foi condenado por dois assaltos em residências com roubo de um televisor, telemóvel, computador portátil, dinheiro e equipamentos de multimédia.

Por seu lado, os dois arguidos de 21 e 22 anos, uma dupla de irmãos, responderam pelo crime de roubo em habitação, pesando contra este último apenas uma acusação e ao de 21 anos, a acusação de roubo em duas residências.

Neste sentido, o primeiro foi condenado a três anos e dois meses de prisão e o seu irmão de 22 anos vai passar dois anos e quatro meses na Cadeia Central. Quanto às penas aplicadas pelo Tribunal, estiveram à medida do requerido pelo Ministério Público que no caso do jovem de 18 anos tinha pedido uma condenação de sete anos pela natureza dos crimes.

  1. Ivan Gomes

    Muito bem pela forma como o tribunal desta comarca, tantos os juizes e procuradores vem mtrabalhando arduamente e seriamente em prol da tranquilidade desta ilha, principalmente nas pessoas dos doutores, Antero, Vital Moeda. Também parabens para os policiais, chefe, Cardoso e Belmiro. Um abração cheio de sucessos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.