TRANSCOR factura menos 1.700 contos em dez dias

11/01/2013 01:16 - Modificado em 11/01/2013 01:17

Com a entrada em vigor das disposições do Orçamento de Estado que ditaram não só a subida das tarifas de água e luz, como também dos transportes públicos e de outros impostos, o quadro económico-social é cada vez mais negro. Segundo o economista Avelino Bonifácio no programa Fórum da RCV, justifica-se o aumento de preços nos transportes públicos. Aumentos estes que não agradam nem ao público nem à empresa de transporte público de São Vicente, a Transcor.

 

Os utentes, que já reclamavam quando os preços aumentaram para 37 escudos, não concordam com o aumento para 43 escudos. Além de acharem que subiu demais, recordam a questão do troco, já que a falta de moedas de um escudo é suficiente para que o “preço acabe por ficar nos 45 escudos”. Para Marlino Santos a subida do preço dos transportes “cai sempre mal para as pessoas” e com tudo a subir de preço as coisas ficam cada vez mais difíceis. Na mesma linha de pensamento outra utente, Kizó Fortes, que afirma que ninguém olha para as pessoas. O ditado popular em São Vicente de que “Soncent é piknin” parece entrar agora em vigor, ou seja, “agora vão todos fazer crosse”, brinca Dona Rosa, moradora em Espia. E Antónia Pedro dá a receita para estes tempos difíceis de cortar nas coisas que não são tão necessárias e acrescenta “que todos podem ir até à morada sem problemas”.

 

E a empresa de transporte público, Transcor, neste início do ano já está a sentir os efeitos negativos do aumento do preço dos transportes públicos. O Presidente do Conselho de Administração da Transcor, Luís Gonzaga, afirma à RCV que nestes primeiros dez dias do ano já contabilizaram uma diferença de 60 mil bilhetes a menos, verificado também uma diminuição no número de passes.

 

“Já está a sufocar a empresa só com os dados em bilhetes, em dez dias tivemos uma redução de um milhão e setecentos mil escudos só na venda dos bilhetes” afirma Gonzaga, e acrescenta que a programação da empresa para este ano “não vai ser cumprida com certeza absoluta”. E ainda fala em reformulação de estratégia que pode passar pela redução de autocarros em diversas linhas. O tempo de espera de oito minutos pode aumentar com esta medida.

  1. Helena

    Transcor devia ter contabilizod quis 2$ de troco q sis condutores simplismente cta da gente e pior nem pa pô cara na bô e dze: ctem 2$, agora…………………

  2. Mila

    Absolutament d acordo D. Helena. Maioria d condutores d Transcor katem educaçao nem respeit pa pessoas. Parece k es ta estod t faze utentes um favor. Haja paciencia!!!

  3. Morador de SV

    A empresa Transcor devia sendtir vergonha de vir neste online reclamar, pq em 2 anos ja actualizaram os preços por diversas vezes, todas as vezes que sobem o combustivel sobem os preços dos serviços, eu pergunto ao Sr. Gonzaga porque não desce os preços dos serviços quando os combustiveis descem de preço? A outra questão que esta a tornar abusivo é a questão dos 3 escudos que nunca os condutores tem troco para devolver aos utentos e assim quem tem o direito de ficar prejudicado é sempre o utente.

  4. OdayrUSA

    Sera uma reducao de UM MILHAO E SETECENTOS ESCUDOS ou MIL E SETECENTOS ESCUDOS em dez dias vejam bem o que voces escrevem lol

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.