O país em alerta sem voos e sem idas para o mar

9/01/2013 00:47 - Modificado em 9/01/2013 00:48
| Comentários fechados em O país em alerta sem voos e sem idas para o mar

A bruma seca que tem assolado o país nestes últimos dias tem criado constrangimentos no mar e no ar, por causa da pouca visibilidade que provoca.

 

Os Aeroportos de São Vicente e da Boavista tiveram que ser encerrados e os voos que procediam para esses aeroportos tiveram de ser desviados para a ilha do Sal. Para a Boavista estavam previstas cinco operações que provavelmente vão ser desviadas para o Sal e, neste aeroporto, estão previstas sete operações internacionais. Garante Janine Cabral do gabinete de comunicação da ASA à RCV que o aeroporto do Sal “vai funcionar normalmente”. São Vicente não conseguiu realizar o voo da companhia aérea Transavia, apesar de três tentativas.

No mar, a recomendação é de que os barcos permaneçam nos portos. O comunicado parte do Instituto Marítimo Portuário (IMP) e é destinado a todas as embarcações de boca aberta e às que não têm nenhum tipo de sistema de posicionamento, seja ele GPS ou radar. O presidente do IMP, José Fortes, em declarações à RCV explica que “o estado do mar não está bom e, por causa da bruma, há pouca visibilidade e as embarcações que não têm sistema de posicionamento podem perder-se”.

Apesar do comunicado, o presidente do IMP revela a falta de meios humanos e materiais para fazer cumprir a medida e, por isso, o trabalho é mais “com a mente das pessoas”, já que não havendo meios, o acatamento da medida “vai ficar um pouco ao critério da responsabilidade de cada marítimo e responsável de cada embarcação”. Mas se forem detectadas, as infracções serão punidas.

 

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.