Comerciantes ainda não se aperceberam da subida do IVA

7/01/2013 01:56 - Modificado em 7/01/2013 01:56

Desde o dia um de Janeiro que o aumento do IVA de 6 para 15 por cento nos produtos e serviços estão em vigor . Mas as pessoas e os comerciantes contactados pelo NN apenas de aperceberam do abaixamento dos preços dos combustíveis. Medidas do Orçamento de Estado para 2013 ainda pairam no ar; quanto é que estas medidas influenciam a vida das pessoas? No comércio a pergunta continua a ser a mesma, quanto é que estas medidas influenciam os preços dos produtos básicos e o nível de poder de compra das pessoas? Mas a pergunta mais simples ainda, ou seja, “de quanto aumentou a energia e a água?”, ainda não tem resposta para muitos comerciantes.

 

Com todas estas preocupações e alertas sobre o impacto destas medidas, o pequeno comércio composto pelas muitas mercearias parece que ainda não começou a fazer as contas do impacto destas novas tarifas e nem a pensar no que poderão estar prestes a começar a guardar. Por exemplo Romão, da Mercaria Monte Gordo em Vila Nova não tem a mínima ideia do que subiu e da influência destas novas taxas. O mesmo se dá com outras mercearias que pouca ideia têm das taxas e das suas influências. Na Mercearia Ramos a resposta sobre estas novas tarifas é de que apesar do desconhecimento sobre os impactos é “esperar para, na hora de pagar, ver”.

Apesar desta atitude deste tipo de comércio a certeza é que “vai afectar de qualquer maneira”, mesmo não sabendo como. Numa explicação conseguida na Mercearia Alves é que “sempre que sobem taxas ou tarifas quem sofre são as pessoas”. A verdade nesta afirmação é contrastada com uma falta de preocupação em entender e preparar-se para os tempos difíceis que se aproximam.

 

  1. Nelson Cardoso

    Há muito que pagamos o IVA a 15% nalguns produtos. Os comerciantes o sabem.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.