Cabo Verde vs selecção de São Vicente foi requintado por onda azul

6/01/2013 11:26 - Modificado em 6/01/2013 11:26

O Estádio Adérito Sena, na ilha de São Vicente acolheu o jogo-treino entre a selecção de Cabo Verde e de São Vicente que se enquadrou no estágio de preparação dos Tubarões Azuis que vão fazer a sua primeira aparição no Campeonato Africano das Nações. O jogo terminou com um empate a zero e no final o seleccionador, Lúcio Antunes enalteceu o apoio das pessoas que se fizeram presente ao estágio.

 

Foi a maior assistência que o Estádio Adérito Sena teve nos últimos anos, visto que as bancadas sul, norte e central estavam apinhadas de cidadãos que afluíram ao estádio para apoiar a selecção cabo-verdiana de futebol. Uma onda azul cobriu o “Fontinha”, pelo que a equipa técnica e os futebolistas foram recebidos com uma grande ovação, com gritos de apoio e felicitação pela conquista do passaporte para o CAN 2013.

Com o apito inicial do árbitro internacional, Nilton Medina deu-se início ao particular onde a selecção de Cabo Verde quis agradecer o apoio da população de São Vicente. Lúcio Antunes destacou que os são vicentinos mereceram a oportunidade de ver de perto os trabalhos da selecção.

Foram 80 minutos de festa nas bancadas, onde a batucada acompanhou o grito do público que em tom de coro dizia “Cabo Verde, Cabo Verde” e “Vamos Tubarões Azuis”. A selecção de São Vicente também foi apoiada e foi esta selecção que criou o primeiro lance de perigo. O avançado Flávio, aos 2´ esteve perto de inaugurar o marcador, mas não conseguiu bater Fock.

O jovem foi o destacado da selecção de São Vicente na primeira parte e ainda teve uma segunda oportunidade, porém rematou para fora. Do lado de Cabo Verde, Ryan Mendes e Heldon eram os mais irrequietos e no final da primeira parte Mendes assistiu o Heldon, mas este atirou a bola por cima da baliza, quando Tol não tinha hipóteses de travar o lance.

A segunda parte trouxe mudanças nas duas selecções, uma contrariedade para São Vicente, porque o médio Metcha, após uma queda aparatosa teve de ser transportado para o hospital. Depois foi a vez de Vozinha ser assistido, por duas vezes devido ao choque com contrários.

E já nos minutos finais, Cabo Verde deu um cheiro de golo, mas o guarda-redes Vavá, que substitui Tol deu um ar da sua graça e travou um remate de Marco Soares que levava selo de golo. O jogo terminou com o empate a zero, mas os jogadores de ambas as selecções saíram satisfeito com o espectáculo que marcou o estágio da selecção Cabo Verde na ilha de São Vicente

De realçar que Cabo Verde jogou na 1ª parte com Fock; Carlitos, Nando, Fernando Varela e Nivaldo; Guy Ramos, Sténio e David Silva; Heldon, Ryan Mendes e Djaniny e para a segunda parte entraram Vozinha; Gegê, Pecks, Josimar e Nivaldo; Toni Varela, Ronny e Marco Soares; Babanco, Zé Luís e Júlio Tavares.

Do lado da selecção de São Vicente, os técnicos Bassana e Rui Leite fizeram alinharTol; Bomba, Toi Adão, Djosa, Ponk, Dukinha, Fredson, Uril, Flávio, Tuíta, Lobo e jogaram ainda o guarda-redesVavá; Valter, Django, Dai, Gaoussu, Duk, Djack, Nénass, Piknin e Metcha.

  1. Carlos Silva - Ralão

    Foi realmente um ambiente de festa, aliás era isso o mais importante, não pelo jogo em si, mas pelo apoio e o carinho verificado pela seleção de S. Vicente e Cabo Verde.. Agora foi muito triste e uma falta de dignidade o que fizeram com os rapazes da seleção de S. Vicente, não lhes foi servido um almoço apenas antes do jogo, e pior ainda, foi o jantar promovido pela Câmara Municipal de S. Vicente a seleção de Cabo Verde, em que eles não foram convidados.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.