Bombardeamento em cidade síria mata dezenas de pessoas

27/04/2012 01:54 - Modificado em 27/04/2012 01:54

Um bombardeamento na cidade de Hama, na região Centro da Síria, fez dezenas de mortos e feridos na quarta-feira. Muitas casas ficaram destruídas e vários habitantes procuram, com as suas próprias mãos, eventuais sobreviventes entre os escombros.

O número de vítimas da explosão no bairro de Masaa al-Tayaran, na cidade rebelde, não é certo. O Observatório sírio dos Direitos Humanos (OSDH), citado pela agência AFP, fala em 27 mortos e dezenas de feridos. A BBC noticia a morte de 70 pessoas. De acordo com os media estatais da Síria, a explosão matou 16 pessoas e atingiu um edifício que estava a ser usado por “grupos terroristas armados” como uma fábrica de bombas.

“>Um vídeo divulgado no YouTube, depois do bombardeamento, mostra esta manhã um cenário de devastação, com casas reduzidas a escombros e habitantes a retirar, com as suas próprias mãos, corpos de debaixo dos escombros.

“A explosão destruiu muitas casas”, disse, via Skype, Abu Ghazi, um morador. “Várias pessoas estão debaixo dos escombros”, acrescentou.

Horas depois do bombardeamento em Hama, e mais a Norte, na região de Aleppo, dois civis morreram, segundo o OSDH. “Dois civis morreram às mãos de homens armados leais ao regime na localidade de Mareh, na região de Aleppo”, afirmou o OSDH.

Esta manhã, as forças de segurança lançaram um ataque a Harasta, nos arredores de Damasco, apoiadas por blindados e armamento pesado, disseram os Comités Locais de Coordenação (da oposição). Em Duma, perto da capital, tropas atacaram casas e lojas e cercaram hospitais.

Em mais de 13 meses de revolta popular contra o regime de Bashar al-Assad, a violência na Síria já fez mais de 11.100 mortos, segundo os números do OSDH. As Nações Unidas falam em cerca de 9000 mortos e o Governo sírio em 3838.

Para tentar travar a violência, a 12 de Abril entrou em vigor um plano de paz, mediado por Kofi Annan, enviado especial da ONU para a Síria. Mas desde então tem sido violado diariamente. Actualmente são 15 os observadores das Nações Unidas que estão na Síria, dois deles na cidade bombardeada ontem, Hama, para acompanhar o cumprimento do cessar-fogo.

A situação na Síria levou a Liga Árabe a convocar hoje uma reunião extraordinária dos ministros dos Negócios Estrangeiros para avaliar o dossier.

  1. Maria

    Esse pessoal ta tud dod e mas nada!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.