Morte em Espia: suspeito levou a policia a casa onde o cadáver viria ser encontrado, mas a PN não viu nada

28/12/2012 01:21 - Modificado em 28/12/2012 01:21

Este online soube que no dia 25, acompanhado pela polícia, o indivíduo mostrou alguns compartimentos da habitação para demonstrar que a vítima não se encontrava na sua residência, todavia, por não haver suspeitas que a mulher estaria morta, o local onde estava o corpo de Nádia não foi visto pela PN.

 

A Polícia Judiciária continua a investigar o caso da morte da cidadã Nádia Aleixo encontrada morta num quarto onde residia o namorado. Adilson da Luz, conhecido por “Vubra” é o principal suspeito com base nos indícios que aparentam tratar-se de um homicídio. Mas o paradeiro do indivíduo é uma incógnita para a PJ que o tem como o elemento chave para desvendar os factos que culminaram na morte da vítima.

 

Na tarde de ontem, 26, o cheiro nauseabundo que vinha de uma residência na Ribeira de Cadela, na zona de Espia, despertou a atenção dos moradores que contactaram as autoridades. A Polícia Nacional e a Polícia Judiciária deslocaram-se ao local, uma vez que na habitação residia o namorado de uma mulher de 27 anos que se encontrava desaparecida desde o dia 24.

 

As autoridades acabaram por encontrar o cadáver de Nádia Aleixo com lesões no corpo e sinais de decomposição num quarto construído no terraço da residência que pertencia ao companheiro da vítima. De realçar que no dia anterior, Adilson da Luz apresentou-se às autoridades criminais para prestar declarações, mas disse desconhecer o paradeiro da companheira.

No entanto, pelas informações colhidas na zona de Espia junto de testemunhas oculares, ao se aperceber que o corpo de Nádia Aleixo tinha sido encontrado pelas autoridades, Adilson da Luz terá fugido em direcção à praia de Jon D´ Debra. Mas o certo é que até agora o indivíduo encontra-se em parte incerta da ilha de São Vicente.

 

Contactada pelo NN, a PJ assegura que o suspeito ainda não foi detido, mas que se estão a realizar investigações para apurar os factos que culminaram na morte de Nádia Aleixo. A Polícia Judiciária está a trabalhar sobre indícios que aparentam tratar-se de um homicídio, pelo que afirma que nas próximas horas o caso poderá conhecer novos contornos.

  1. José. Chantre

    Como é que estiveram na casa onde estava o cadáver. E nao se aperceberam ? Que raio de revista foi essa ?

  2. Soncent

    penso q é impossivel q se faça uma revista num quarto onde se encontra um cadaver q ja começava a dar algum cheiro e não se consegue detectar nada. tudo leva a crer q no momento q foi feito a busca o corpo não se encontrava nesse quarto e q teria sido posto lá posteriormente. Agora cabe a PJ investigar, para podermos saber realmente o q tera acontecido. Meus sentimentos a familia da vitima.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.