Dor e revolta “:Nady morreu de forma trágica e sem direito a um funeral digno”

28/12/2012 01:17 - Modificado em 28/12/2012 01:17

Os familiares e amigos de Nádia Aleixo, de 27 anos encontrada morta numa residência em Ribeira de Cadela, na zona de Espia, ilha de São Vicente realizaram uma marcha de homenagem ao cemitério para depositar flores na sepultura da vítima. Recorde-se que o corpo de Nádia foi sepultado de imediato na noite de quarta-feira, 26, uma vez que apresentava sinais de decomposição.

 

Na tarde desta quinta-feira, por volta das 15 horas, familiares de Nádia Aleixo, conhecida por “Nady” e moradores da zona de Espia deslocaram-se ao cemitério da ilha de São Vicente para prestarem uma homenagem a vítima que foi encontrada morta numa habitação onde residia o seu companheiro, Adilson da Luz conhecido por “Vubra”.

Recorde-se que Nádia e o namorado saíram da sua residia na tarde do dia 24, com o objectivo de comprar um presente na cidade, para participar da habitual troca de prendas com os familiares. Mas pelo caminho entraram na casa do namorado da vítima, onde o seu corpo viria descoberto, ontem, 26, s pelas autoridades com sinais de agressão e em decomposição.

Por ordem da Delegacia de Saúde e da PJ, o corpo de Nádia teve que ser conduzido de imediato e sepultado no cemitério. Desta forma, a família da malograda ficou privada de realizar o seu funeral, por isso em sintonia com amigos de Nady providenciaram uma marcha para colocar uma coroa de flores na sua sepultura.

Em entrevista ao NN, familiares de NN asseguraram estar a viver um momento doloroso, porque não conseguem aceitar a forma como a vítima encontrou a morte, quando o seu propósito era comprar um presente para participar da ceia de Natal.

“Nady morreu de forma trágica e sem direito a um funeral digno devido a forma como o seu corpo foi encontrado. Porém não podíamos deixar passar este dia sem que ela tivesse uma singela homenagem. Agradecemos as pessoas que participaram deste acto e todos aqueles que nos tem apoiado neste momento de angústia” afirmam os familiares.

Os familiares concluem dizendo que se as autoridades obtiveram indícios que se trata de um homicídio esperam que a justiça seja feita em relação ao responsável. De realçar que Nádia Aleixo trabalhava como empregada doméstica e deixou uma filha menor que está sob à guarda da família.

  1. Baldoque

    Então não fizeram a autópsia anunciada no Jornal “A Semana?”.
    Pouca vergonha da Delegacia de Saúde.

  2. carla salvador

    que tristeza k seja feita justiça

  3. Piras

    Estranho, porque não questionaram o seu namorado, já que os dois entraram na casa dele e só saiu morta. Porque o namorado não informou a família, será que ele não mais voltou à casa? A PJ deve investigar essa morte com urgência.

  4. povo sofredor

    nha colega de escola primaria, um fca mesmo perturbado kess noticia ma mi jam ca ta de acordo ma manda ess tipo de animal li pa cadeia central de ribeirinha ess gajo li devia ser banido dess mundo (a favor a pena de MORTE nes casos li es coisa li ca pode continua)

  5. Tuca

    Este gajo não merece viver no meio de pessoas civilizadas ou seja é um perigo publico. Por tudo o que fez: assassinato, ocultação de cadaver, fuga, devería ser exacutado em praça publica. Ainda os contribuintes deste país tem de arcar com os custos de alimentação e outros no presídio com este selvagem. QUE SEJA FEITA JUSTIÇA.
    A familia da Nady meus sinceros pesamos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.