Uma ratoeira que os peões teimam em usar

26/04/2012 08:44 - Modificado em 26/04/2012 08:44

O perigo rodeia os mindelenses que circulam na estrada que vai da cidade para São Pedro. Trata-se de uma via rápida com movimentação constante de veículos que saem da cidade do Mindelo em direcção ao Aeroporto Cesária Évora ou vice-versa. De qualquer modo por ser uma estrada perigosa não se pode permitir que ciclistas e pedestres circulem naquela via sem adoptarem as devidas medidas de prevenção.

A estrada Cidade/São Pedro está manchada de sangue devido aos atropelamentos que ceifaram a vida de pessoas que circulavam nessa via. Porém até o momento ninguém tomou qualquer providência para sinalizar o local, para evitar que outras vidas sejam ceifadas naquela estrada.

O costume das pessoas que residem nas redondezas vai prevalecendo sobre as regras de trânsito. Já que os cidadãos fazem o percurso de um lado par outro sem medo de serem atropeladas. Existe uma ponte metálica que atravessa a via, mas esta não é utilizada. É raro ver uma pessoa a utilizar a ponte para atravessar de um lado para outro. O local escolhido é a estrada numa travessia que tem tudo para resultar em tragédia.

Perigo

Segundo um condutor “a estrada ganhou um movimento suplementar com o movimento dos trabalhadores das fábricas no Lazareto. Eles sentam-se na berma da estrada à espera de boleia, mas também a sua circulação nos dois sentidos também é um desafio ao acidente”. De realçar que há cerca de quatros meses, um individuo foi colhido por uma viatura numa altura em que esperava uma boleia para deslocar-se ao trabalho.

Por outro lado, muitos mindelenses teimam em usar a estrada para fazer footing, quando existe um espaço apropriado para a prática do footing em São Vicente. A velocidade dos carros nos dois sentidos e as pessoas a caminharem ou a correr nos dois sentidos provoca calafrios a quem assiste. E causa estranheza que as autoridades fechem os olhos a essa situação. Na verdade esse local há muito tempo deixou de ser um lugar agradável e seguro para uma caminhada ou corrida. E por alguma razão ganhou o nome de … estrada da morte.

Educação

Para alguns cidadãos é necessário uma racionalização dos pedestres e de alguns condutores para evitar tragédias nessa via. Para Mário Chantre e Isabel Oliveira “o primeiro passo seria as pessoas passarem a utilizar a ponte que liga Dji D´Sal ao Campim. Do lado dos condutores que passassem a moderar a velocidade, bem como as autoridades deveriam proibir o uso dessa estrada para footing”.

  1. vuka lopes

    Com o dvido respeito por opinião contraria, entendo que o problema principal que existe nesta estrada, resulta de falta de investimentos publicos nesta via.Se não vejamos: o local com mais atropelamentos mortais, cruzamento da estação de serviça shell em Dji de Sal, é um ponto critico que ainda não foi devidamente resolvido, que a meu ver deveria ter uma rotunda e duas “quebra molas em cada entrada” no sentido cidade S.Pedro.Para diminuir a velocidade de entrada na cidade.

  2. vuka lopes

    Uma segunda situação e que se agravou com a asfaltagem do piso, é a circulação de peõs e ciclistas.Trata-se de um sitio agradável para caminhar ou mesmo passear de bicileta, portanto atrtivo para as pessoas apesar do perigo evidente.A meu ver existe uma solução simples, infelizmente um pouco dispendiosa, mas necessaria para salvar vidas e por acerscimo beneficiar a cidade e a linda baia do porto grande, que seria uma ciclovia ao lado da estrada com um passeio que iria até a zona de Lazareto

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.