Ministério Público pede condenação de seis “caçubodistas”

18/12/2012 00:18 - Modificado em 18/12/2012 00:18

O Ministério Público pediu a condenação de um grupo de indivíduos que vinham assaltando pessoas na via pública em São Vicente. Paraa representante do MP, os factos da acusação ficaram provados em tribunal sendo os indivíduos reincidentes nos crimes contra o património e contra pessoas, os denominados “caçobody”.

 

O Juízo Crime da Comarca de São Vicente procedeu ao julgamento de seis jovens acusados do crime de roubo. Os indivíduos com idades compreendidas entre os 19 e os 24 anos são referenciados pelas autoridades judiciais pela prática de vários “caçubodys” na ilha de São Vicente entre os anos de 2009 e 2012.

O Ministério Público e a Polícia Judiciária asseguram que os arguidos têm processos-crimes pendentes na Procuradoria da República que estão em fase de instrução. De realçar que cinco dos indivíduos já foram condenados pelos crimes de furto e roubo, sendo que dois estão com pena suspensa, dois cumprem pena de prisão nessa matéria e um outro, que ficou com pena suspensa por roubo, está detido por ter cometido um crime de homicídio.

Desta feita, os acusados foram indiciados de assaltarem um jovem na Av. Alberto Leite com recurso a uma tesoura e estalos e uma mulher em Vila Nova. No primeiro caso, sob ameaça de uma tesoura, o ofendido entregou o seu telemóvel e uma carteira nas imediações das instalações da Emprofac.

Por seu lado, a mulher foi surpreendida nas imediações dos campos de futebol em Vila Nova e ao ser ameaçada com uma faca entregou um telemóvel, uma mochila contendo dinheiro, materiais escolares e vários objectos de uso pessoal.

Perante a confissão de um dos arguidos e pelo depoimento das testemunhas arroladas ao processo, a representante do Ministério Público pediu uma pena de prisão para os indivíduos, ao abrigo do artigo 198º do Código Penal. A magistrada assegura que há necessidade de travar o fenómeno “caçubody” em São Vicente e, por isso, o Tribunal deve reprimir o comportamento desses jovens que se dedicam à prática de crimes dessa natureza.

  1. nâo no ca mesté julgaz po na cadeia quando da juiz na cabeça pa manda traz ,mas é partir de dum 5 anos e é pa pox ses fotos e nome pa tud gente fca te conché es FDM essim quez outros te começa sinti medo ser fotografado e pa pox na lista cassubodistas

  2. Mindelense

    Em qualquer país dito civilizado e democrático no mundo que preze o seu cidadão honesto, trabalhador, do bem e amante da paz, são colocados as fotos dos bandidos na comunicação social (jornais online, televisão, jornal impresso, etc…).

    É uma forma de todos saberem quem são os perigosos, de forma a prevenir quando estão pertos destes bandidos e parasitas. Até hoje não entendi porquê não acontece aqui em Cabo Verde????

  3. Dje Guebara

    Pois claro,deveria de pôr esses bandidos nos jornais e nos carteis de cada esquina da cidade para que a gente os conheceram para que possa identifica-los e defender de essos bandidos e criminales que são as escorias humanas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.