Morna para património imaterial da humanidade

17/12/2012 01:12 - Modificado em 17/12/2012 01:12

“A morna já é património da humanidade agora só falta a confirmação da UNESCO”, palavras do Primeiro-ministro, José Maria Neves, durante a cerimónia do anúncio público da morna a património nacional e do empossamento dos membros das comissões de honra e científica da candidatura da morna a património da humanidade, que aconteceu em Mindelo. Para Neves a morna precisa apenas da certificação oficial atribuindo “a sua verdadeira dimensão mundial”.

 

A morna foi no passado dia 13 de Dezembro declarada como património nacional e agora o trabalho visa dar-lhe dimensão mundial com a distinção de património imaterial. Nesta cerimónia foram constituídas duas comissões científica e de honra que irão trabalhar para chegar a certificação da UNESCO. O Ministro da Cultura, Mário Lúcio, atribui o título de embaixadores a estas duas comissões que vai caber “representar a morna e conseguir que as instituições internacionais reconheçam a morna” como património da humanidade. “Nos acreditamos que a energia da morna ultrapassa os limites deste pequeno planeta chamado terra”, exprimiu o Ministro da Cultura.

Humberto Lima da comissão científica sublinha que vai ser difícil mas apelou a união na “na produção e divulgação do nosso património”. E para a Neves esta candidatura da morna a património imaterial da humanidade “vai unir esta nação global cabo-verdiana”. E o sentimento é da certeza do sucesso desta candidatura.

Depois das comissões assumirem as suas responsabilidades o Primeiro-ministro deu a ordem: “mãos ao trabalho”.O Ministro da Cultura declarou a Ilha de Santa Luzia a sede da morna “para não haver reivindicações e que todos possam se sentir filhos da morna”.

  1. zuca silva

    Cabo Verde anda a imitar todos os disparates patrioteiros de Portugal. O nível de demagogia e de aldrabice destes dois paises já começa a desafiar a ‘gravidade’ e o mundo fica a troçar destas patetices. Afinal o que significa ser património da Humanidade. Tudo o que nos está disponível não é património da Humanidade. Portanto antes de grandes voos seria um bom começo, começarmos a conservar o que é nosso e não delapidar ou tratar mal. Antes de património da humanidade vamos é cuidar da ‘casa’ pois todos os países têm patrimónios da humanidade.

  2. Eduardo Oliveira

    Considerar a MORNA património Nacional é uma justiça que vem com mais de 30 anos de atraso. Considera-la Património Mundial é exagero pois outras músicas mais divulgadas ainda lá não chegaram mas, o cúmulo do absurdo é designá-la de Santa Luzia. Podia dizer que o clown Mário Lùcio encontrou mais uma palhaçada para tentar divertir o público mas digo antes que saiu com essa porque não pode afirmar ser um ex-libris de Santiago. Para os Ministros da Cultura que vêm desfilando o lema tem sido “Tudo para Santiago, nada contra Santiago” numa correria para apresentar a ilha da capital como a unidade colonizadora.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.