A família espera justiça para o caso

17/12/2012 00:53 - Modificado em 17/12/2012 00:53
| Comentários fechados em A família espera justiça para o caso

O corpo da cabo-verdiana, Lourença Lima assassinada numa residência em Itália foi transladado para a ilha de São Vicente. A mulher de 44 anos, natural de Santo Antão, foi a enterrar na tarde deste domingo no cemitério do Mindelo, cidade onde vivem os seus dois filhos e os familiares que agora esperam pela condenação do autor do crime.

 

Em declarações ao NN, os familiares de Lourença Lima fizeram menção ao apoio da Embaixada de Cabo Verde e da comunidade cabo-verdiana na Itália, dos cidadãos italianos e da agência funerária Nossa Senhora de Fátima para que o corpo da cidadã cabo-verdiana fosse transladado para a ilha de São Vicente.

Mas asseguraram estarem a viver um momento doloroso, porque não conseguem aceitar a forma como a vítima encontrou a morte, quando o seu propósito era o de se deslocar a Milão para procurar um emprego. “Esperamos que a justiça italiana aplique as leis que se adequam ao caso, porque o autor da sua morte deve ser condenado com uma pena severa. Porque Lourença encontrou a morte de uma forma trágica com torturas e asfixia com um saco de plástico”.

De realçar que o caso ficou sob a alçada das autoridades criminais que vão tentar descobrir as razões que levaram um cidadão italiano de 56 anos a assassinar a cabo-verdiana que residia há cerca de 20 anos na Itália.

Recorde-se que o corpo de Lourença Lima foi encontrado na casa de Vicenzo Vergata, no dia 20 de Novembro. O corpo da vítima apresentava sinais de tortura, tinha as partes íntimas cobertas com pedaços de vestuário e esta tinha à volta da cabeça uma bolsa de plástico utilizada pelo agressor para asfixiá-la.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.