Detido deputado por queimar bandeira de Israel

16/12/2012 16:35 - Modificado em 16/12/2012 16:35
| Comentários fechados em Detido deputado por queimar bandeira de Israel

Um deputado húngaro de extrema-direita foi detido por ter queimado uma bandeira de Israel numa manifestação contra judeus, na qual terão participado cerca de 100 pessoas, disse a polícia húngara.

 

“A polícia deteve o deputado independente Balazs Lenhardt por ter queimado uma bandeira de Israel numa manifestação na sexta-feira à noite” no centro de Budapeste, afirmou a polícia num comunicado.

Na manifestação participaram cerca de 100 pessoas, dos quais alguns gritaram palavras de ordem anti-semitas como “porcos judeus, mandem os judeus para Auschwitz” enquanto a bandeira era queimada, segundo vários media húngaros.

O ministro dos Negócios Estrangeiros húngaro condenou os actos de Lenhardt considerando-os “inaceitáveis” e que traduziam um incitamento ao ódio racial.

A embaixada de Israel pediu ao governo do primeiro-ministro, Viktor Orban, “para tomar todas as medidas necessárias” para pôr fim a acções tão “hostis e ofensivas”.

Lenhardt deixou recentemente de ser membro do partido de extrema-direita por alegar que era demasiado moderado.

Outro deputado do partido Jobbik, Marton Gyongyosi, espalhou o ódio em Novembro último por ter apelado no parlamento para se fazer um “estudo” na Hungria para identificar “quantas pessoas existem de origem judaica e apresentam um risco para a segurança da Hungria”.

Contudo, Orban, que condenou as declarações de Gyongyosi’s, foi mesmo assim acusado de presidir a um aumento do anti-semitismo no Estado húngaro.

Em maio, o galardoado com o Nobel da paz e sobrevivente do holocausto Elie Wiesel recusou a atribuição da maior condecoração húngara, afirmando que está a ser feito um “branqueamento da história”.

 

 

 

cm.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.