John Kerry será o próximo secretário de Estado de Obama, dizem as televisões

16/12/2012 16:13 - Modificado em 16/12/2012 16:13
| Comentários fechados em John Kerry será o próximo secretário de Estado de Obama, dizem as televisões

John Kerry, o candidato dos democratas derrotado pelo republicano George Bush, nas presidenciais de 2004, veterano da guerra do Vietname e senador do Massachussetts, é dado como a escolha do Presidente Barack Obama para secretário de Estado norte-americano depois de Hillary Clinton deixar o cargo por sua iniciativa. Aguarda-se o anúncio oficial nos próximos dias e a confirmação pelo Senado, antes da nova tomada de posse de Obama a 20 de Janeiro.

 

John Kerry preside a comissão dos Negócios Estrangeiros do Senado e começou a ser dado como favorito para substituir Clinton na chefia da diplomacia dos Estados Unidos, desde que na semana passada Susan Rice, embaixadora junto da ONU disse que renunciava a disputar o cargo deixado vago com a saída de Clinton que anunciou não ter disponibilidade para um segundo mandato que se incia, para toda a Admnistração Obama, em Janeiro.

 

O nome de Rice podia não reunir uma maioria no Senado onde os democratas têm a maioria simples mas não uma maioria qualificada que lhes permita bloquear uma eventual oposição no Senado, chamado a confirmar todas as nomeações do Presidente para cargos governamentais.

 

John Kerry é de longe mais consensual, tendo mesmo algum apoio dos republicanos, escreve a Reuters que cita a congressista republicana Susan Collins em declarações recentes: “Penso que John Kerry seria uma excelente nomeação e facilmente confirmado pelos seus colegas [do Senado].”

 

O senador tem a vantagem de ser conhecido em todo o país, depois da corrida presidencial de 2004, e em Washington onde desde 1985 ocupa um lugar no Senado. Depois da derrota presidencial de 2004, Kerry conseguiu forjar uma nova identidade, escreve a Reuters que nota que o senador tem sido um emissário discreto para a Casa Branca nalgumas missões ao estrangeiro.

 

Nomeação que não será única

 

O consenso em torno da figura de Kerry terá pesado na decisão de Obama, sugerem AFP e Reuters, numa altura em que o Presidente se prepara para anunciar o próximo secretário de Estado da Defesa e chefe do Pentágono, o antigo senador republicano Chuck Hagel, em substituição de Leon Panetta que também decidiu abandonar a chefia do Pentágono no fim do primeiro mandato. Essa seria uma razão para Obama ainda não ter anunciado formalmente a nomeação de Kerry.

 

Outra razão possível para o atraso na oficialização, segundo as agências, teria a ver com imprevistos na agenda do Presidente. Obama viaja este domingo para o Connecticut para estar ao lado das famílias das vítimas e sobreviventes do massacre na escola de Sandy Hook, em Newtown.

 

A escolha do senador do Massachussetts foi dada como certa pelas cadeias de televisão norte-americanas ABC e CNN, citadas pela Reuters. A Casa Branca escusou-se a confirmar a notícia à AFP.

 

Hillary Clinton de 65 anos tem sido apontada como possível sucessora de Obama na corrida à Casa Branca nas eleições de 2016 mas a própria desvaloriza esse cenário, dizendo querer “procurar outras coisas em que possa contribuir”. É uma das figuras mais populares, se não a mais popular, dos responsáveis da Administração, com um fim de mandato conturbado. Motivos de saúde obrigaram-na a cancelar compromissos desde dia 7. Na semana passada, cancelou uma viagem prevista ao Norte de África e Médio Oriente. Este fim-de-semana teve uma indisposição e um traumatismo.

 

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.