Veiga: “há gente que vai às reuniões do MpD só para lavar roupa suja”

10/12/2012 02:47 - Modificado em 10/12/2012 02:47

Numa entrevista ao Expressodasilhas, Carlos Veiga, presidente do MpD, explica as razões porque resolveu deixar a liderança do partido na próxima Convenção. Veiga disse que a decisão estava tomada há muito porque acho que o MpD está a precisar de uma mudança profunda nos seus procedimentos internos, na composição e na dinâmica de funcionamento dos seus órgãos. Acho que é um bom e fundamental momento, para fazer essa renovação.

O partido está preparado para isso e tem gente adequada para esse efeito. Terminado o debate na generalidade do Orçamento, temos agora de nos orientar para a Convenção. Por isso, achei que era o momento oportuno para fazer esse anúncio aos militantes e, em primeiro lugar, aos deputados”.

Instado a falar da sua preferência em relação ao próximo líder foi claro: “Não, não vou indicar nomes. Vimos durante as últimas eleições legislativas, presidenciais e autárquicas, sobretudo, um grande naipe de jovens com arcaboiço que foram ao embate político, uns ganharam, outros não ganharam, mas mostraram-se líderes. Com capacidade de liderança, com estofo político o que me diz que podemos estar optimistas em relação ao futuro do MpD”. Em relação às declarações que começam a surgir na comunicação sobre a sua sucessão, Veiga diz que “Essa é uma das coisas que é preciso mudar dentro do MpD.

Há muita gente que vem às reuniões do MpD para lavar a roupa suja. Mas para dar soluções (silêncio). Os problemas, todos nós os conhecemos, agora precisamos de soluções. Isso é que é importante. Por isso é que deve haver uma reviravolta completa dentro do MpD, para que a energia positiva que existe dentro do partido, dos militantes do partido, se traduza a nível da direcção.”

  1. Pancracio Dias

    Para que ela se aplique inteiramente ao MPD em S.Vicente seria preciso acrescentar “quando há reuniões porque por essas bandas elas são uma raridade”

  2. Do Norte

    A Presidência da Câmara Municipal de São Vicente deve, em qualquer circunstância, ser uma espécie de rampa de lançamento para uma candidatura ao cargo de Primeiro Ministro, à semelhança da Praia. Por isso, se Ulisses é potencial candidato, o Augusto também deveria ser. É uma questão de prestígio e de honra para São Vicente. O nosso Presidente deve ser uma pessoa com notoriedade e reconhecimento nacional. Não podemos aceitar ficar em segundo plano. Augusto pode ser candidato a Presidente do MpD.

  3. Ilha de Madera

    Enquanto recebermos ordens de Praia, continuaremos neste buraco que se está a transformar São Vicente. O sistema está montado de tal forma que quem vive fora de Praia não tem chances de subir em nada. Chega desta afronta de sermos servidores da Praia. E quando digo Praia, incluo os cães de São Vicente que hoje vivem na Praia, e que supostamente foram eleitos para defenderem os interesses de São Vicente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.